Busca avançada
Ano de início
Entree


Leishmaniose felina e sua associação com imunodeficiência viral e toxoplasmose em gatos provenientes de área endêmica para leishmaniose visceral

Texto completo
Autor(es):
Ludmila Silva Vicente Sobrinho
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Araçatuba.
Instituição: Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Medicina Veterinária de Araçatuba.
Data de defesa:
Membros da banca:
Wagner Luís Ferreira; Raimundo Souza Lopes
Orientador: Mary Marcondes
Resumo

O objetivo do presente estudo foi determinar em uma população de 302 gatos provenientes de área endêmica para leishmaniose visceral, a prevalência da infecção por Leishmania spp. e a presença de coinfecção pelo Toxoplasma gondii, vírus da imunodeficiência felina (FIV) e vírus da leucemia felina (FeLV). Foram evidenciadas formas amastigotas de Leishmania spp. em 9,93% (30/302) dos animais. A prevalência da leishmaniose observada por meio dos métodos de ELISA-proteína A, ELISA-IgG ou exame parasitológico direto foi de 21,85% (66/302), sendo 13,64% (9/66) positivos no exame parasitológico direto e sororeagentes nas técnicas de ELISA indireto. Doze animais (70,59%) foram sororeagentes para o FIV e a Leishmania spp., enquanto 17 (25,76%) apresentaram anticorpos anti-Toxoplasma gondii e anti-Leishmania spp. e cinco (71,43%) apresentavam infecção pelos três agentes. Não foi observada coinfecção entre Leishmania spp. e o FeLV. Houve associação estatisticamente significante entre a coinfecção por Leishmania spp. e pelo vírus da imunodeficiência felina, bem como entre a presença de Leishmania spp., do vírus da imunodeficiência felina e do Toxoplasma gondii. A sensibilidade e a especificidade dos métodos de ELISA-proteína A, ELISA-IgG e reação de imunofluorescência indireta para o diagnóstico de leishmaniose felina foram de 56,6% e 89,47%, 55,55% e 90,96% e 54,55% e 96,80%, respectivamente. As concordâncias entre a RIFI e as técnicas de ELISA-proteína A e ELISA-IgG foram fracas. No entanto, houve boa concordância entre as duas últimas técnicas. O presente estudo verificou que gatos residentes em área endêmica para leishmaniose visceral são predispostos à coinfecção por Leishmania spp. e vírus da imunodeficiência felina, e que parte deles desenvolvem sintomas inespecíficos e devem ser investigados em um diagnóstico diferencial (AU)

Processo FAPESP: 08/52491-0 - Leishmaniose felina e sua associacao com imunodeficiencia viral, leucemia viral e toxoplasmose em gatos do municipio de aracatuba
Beneficiário:Ludmila Silva Vicente Sobrinho
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado