Busca avançada
Ano de início
Entree


Biologia reprodutiva de Bokermannohyla ibitiguara (Anura, Hylidae) em riachos no sudoeste de Minas Gerais

Texto completo
Autor(es):
Renato Christensen Nali
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Rio Claro. 82 f.
Instituição: Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Instituto de Biociências (Campus de Rio Claro).
Data de defesa:
Membros da banca:
Itamar Alves Martins; Célio Fernando Baptista Haddad
Orientador: Cynthia Peralta de Almeida Prado
Resumo

O Brasil possui a maior diversidade de espécies de anfíbios anuros do mundo, com quase 850 espécies descritas. Apesar dos crescentes esforços e aumento dos estudos, muito pouco ainda se conhece sobre a biologia básica das espécies de anuros brasileiros. A biologia reprodutiva de Bokermannohyla ibitiguara, um hilídeo endêmico do Cerrado brasileiro, provavelmente a savana mais ameaçada do mundo, foi estudada em 17 expedições a campo, entre agosto/2010 e julho/2011. A espécie apresenta reprodução prolongada de outubro a junho. Os machos vocalizaram sobre diversos tipos de substratos em matas de galeria ao longo de riachos. O investimento reprodutivo (massa das gônadas/massa do corpo) de machos foi 0,29% e o de fêmeas 20,26%. Fêmeas grávidas apresentaram uma média de 202 ovócitos com diâmetro médio de 1,96 mm e o modo reprodutivo da espécie é semelhante ao modo 4: ovos e estágios larvais iniciais em bacias naturais ou construídas em riachos. Foi descrito o comportamento de corte complexo da espécie, com estímulos acústicos e táteis, além de briga entre dois machos e canto de briga. Machos satélites foram observados e a média de tamanho corporal não diferiu da de machos vocalizadores. A vocalização da espécie é mista, composta de notas curtas e longas, sugerindo diferentes funções. Houve correlação negativa entre frequência dominante do canto e tamanho do corpo do macho e positiva entre duração da nota longa e tamanho do macho, características que podem estar sob seleção pela fêmea. Houve correlação positiva entre a temperatura do ar e duração da nota longa e negativa entre a temperatura do ar e a taxa de repetição de pulsos. Durante os experimentos de playback, os machos não alteraram a proporção de notas curtas e longas quando simulamos um intruso, mas sim... (AU)

Processo FAPESP: 10/03656-6 - Biologia reprodutiva de Bokermannohyla ibitiguara (Anura, Hylidae) em riachos no sudoeste de Minas Gerais.
Beneficiário:Renato Christensen Nali
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado