Busca avançada
Ano de início
Entree


Análise da expressão de MMP-2 e MMP-9 na pele de cães com Leishmaniose visceral

Texto completo
Autor(es):
Ana Paula Prudente Jacintho
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Jaboticabal. 54 f.
Instituição: Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias.
Data de defesa:
Membros da banca:
Daniel Cortes Beretta; Rosangela Zacarias Machado
Orientador: Rosemeri de Oliveira Vasconcelos; Gisele Fabrino Machado
Resumo

Os cães infectados pelo protozoário Leishmania (Leishmania) chagasi podem ou não apresentar sinais clínicos dessa zoonose e são a principal fonte de infecção para o homem. A pele é o primeiro órgão infectado pelo parasito na LVC. As enzimas metaloproteinases da matriz (MMPs) atuam na degradação da matriz extracelular (MEC) e na modulação da resposta inflamatória, frente a vários tipos de injúrias. O objetivo deste estudo foi avaliar a expressão de MMP-2 e MMP-9, por meio da técnica de imuno-histoquímica e zimografia na pele de cães naturalmente acometidos por LVC e comparar estes resultados com a imunodetecção das citocinas TNF- e TGF- e do protozoário Leishmania, com as possíveis alterações da matriz extracelular dermal. A alteração da composição de fibras colágenas da derme foi avaliada pela coloração PicroSirius. O método foi usado para diferenciar fibras colágenas dos tipos I e III, nas regiões do focinho, orelha e abdômen. A carga parasitária, intensidade de inflamação e a produção de MMP 2 e 9 foram maiores nas regiões cutâneas da orelha e focinho. Os macrófagos, linfócitos e plasmócitos predominaram no infiltrado inflamatório da derme superficial, formando granulomas, associados a degradação do colágeno maduro (tipo I) e a discreta deposição de colágeno jovem (tipo III), com maior intensidade nos cães com elevada carga parasitária cutânea. O TGF-β foi detectado nos três grupos de cães infectados (assintomático, oligossintomático e sintomático), sem diferenças significativas entre eles. O TNF-α não foi detectado na maioria dos animais infectados e no grupo controle. Conclui-se que quanto maior a carga parasitária e a intensidade de inflamação na pele, maior a degradação do colágeno maduro, produção de MMPs 2 e 9 e produção de TGF-β. A MMP-9 ativa poderia ser utilizada... (AU)

Processo FAPESP: 09/11687-1 - Expressão de mmp-2 e mmp-9 na pele de cães com leishmaniose visceral.
Beneficiário:Ana Paula Prudente Jacintho
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado