Busca avançada
Ano de início
Entree


O microquimerismo e a importância das células da medula óssea do doador semi-alogênico na sobrevivência do enxerto.

Texto completo
Autor(es):
Luciana de Deus Vieira de Moraes
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Ciências Biomédicas
Data de defesa:
Membros da banca:
Luiz Vicente Rizzo; Magnus Ake Gidlund; Luiza Guilherme Guglielmi; Maria Gerbase de Lima; Jose Osmar Medina de Abreu Pestana
Orientador: Luiz Vicente Rizzo
Resumo

A indução de tolerância ao enxerto através da administração de células do doador, em períodos que antecedem o transplante, tem se demonstrado eficiente, mesmo em receptores não imunosuprimidos. Os dados da literatura científica são conflitantes quanto ao vínculo entre o microquimerismo e a tolerância aos aloantígenos. No presente estudo, observou-se que a infusão da mistura de células do baço com as da medula óssea, provenientes do doador (BALB/c x C57BI/6)F1, vinte e um dias antes do transplante, resultou em aumento do tempo de sobrevivência dos enxertos de pele e cardíaco, em parentais BALB/c, principalmente quando comparado ao grupo de animais que receberam somente as células do baço do mesmo doador. Assim, procurou-se investigar o estabelecimento do microquimerismo, sua relação com o aumento do tempo de sobrevivência do enxerto e possíveis mecanismos envolvidos. Observou-se um aumento de IL-10 no sobrenadante de cultura das células esplênicas provenientes de animais inoculados com a suspensão mista de células. Em contrapartida, os camundongos que receberam apenas as células do baço apresentaram um aumento da população de linfócitos B. Verificou-se, ainda, que o desenvolvimento de microquimerismo estável não se correlacionou com a tolerância ao enxerto cardíaco, apesar do tempo de sobrevivência do órgão. Esses resultados sugerem que a IL-10 participa no aumento da sobrevida do mesmo quando células do baço com as da medula óssea do doador são administradas antes do transplante. (AU)

Processo FAPESP: 00/03279-6 - Importância do microquimerismo na indução de tolerância ao enxerto semi-alogenico
Beneficiário:Luciana de Deus Vieira de Moraes
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado