Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Relationship between sleep deprivation and anxiety: experimental research perspective

Título (Português): Relação entre privação de sono e ansiedade na pesquisa básica
Texto completo
Autor(es):
Gabriel Natan Pires ; Sergio Tufik ; Monica Levy Andersen
Número total de Autores: 3
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Einstein (São Paulo); v. 10, n. 4, p. 519-523, Dez. 2012.
Resumo

Sleep deprivation is a condition that is more and more observed in modern society bringing various neurobehavioral effects, being anxious states one of the main problems. Many studies have successfully demonstrated the relationship between sleep deprivation and anxiety in clinical research. As to basic experimentation, various models have been efficiently used in order to evaluate an anxious behavior. However, the same efficacy is not found on basic studies that deal with the relationship between paradoxical sleep and anxiety. The great majority of studies which approach this matter in animal models do not present results that may be applied to clinical practice and this is basically due to two reasons: inconsistency among results and lack of replicability as related to clinical studies. It has to be emphasized that the use of animal models is extremely useful, mainly under experimental conditions which cannot be ethically or plausibly be approached in human beings. So, the present theoretical assay tries to evaluate in a brief and critical manner the applicability of animal models in sleep deprivation under a translational perspective. (AU)

Resumo

A privação de sono é uma condição cada vez mais observada na sociedade moderna, resultando em diversos efeitos neurocomportamentais. Um dos principais efeitos comportamentais dessa condição é a proeminência de estados ansiosos. Diversos estudos têm demonstrado, com sucesso, a relação entre privação de sono e ansiedade na pesquisa clínica. Quanto à experimentação básica, diversos modelos têm sido eficientemente empregados na avaliação do comportamento do tipo ansioso. Todavia, a mesma eficácia não é encontrada nos estudos básicos, que abordam a relação entre privação de sono paradoxal e ansiedade. A maioria dos estudos que aborda essa relação em modelos animais não apresenta resultados passíveis de extrapolação à prática clínica, e isso se deve basicamente a dois motivos: inconsistência entre resultados e falta de replicabilidade em relação a estudos clínicos. Ressalta-se que o uso de modelo animais é extremamente útil, sobretudo em condições experimentais que não podem ser ética ou plausivelmente abordadas em seres humanos. Desse modo, o presente ensaio teórico busca avaliar, de modo sucinto e crítico, a aplicabilidade dos modelos animais de privação de sono, sob uma perspectiva translacional. (AU)