Busca avançada
Ano de início
Entree

Dieta hiper-lipídica melhora o comportamento de tipo ansioso induzido por ovariectomia em ratos

Processo: 18/15095-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de outubro de 2018 - 31 de março de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Eliane Beraldi Ribeiro
Beneficiário:Eliane Beraldi Ribeiro
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Hipotálamo  Serotonina  Menopausa  Obesidade  Neuropeptídeos 

Resumo

As alterações induzidas pela menopausa podem incluir tanto depressão/ansiedade quanto obesidade. Hipotetizamos que mudanças comportamentais que podem aparecer após a falência ovariana podem estar relacionadas a aspectos neuroquímicos e metabólicos afetados por esta condição e que a ingestão de dietas hiperlipídicas podem influenciar estas associações. O presente estudo avaliou em ratos os efeitos da ovariectomia, sozinha ou combinada com dietas hiperlipídicas, ricas em banha de porco ou óleo de peixe, sobre o estado metabólico, comportamental e monoaminérgico e sobre a expressão gênica de neuropeptídios e receptores envolvidos no balanço energético e na regulação do humor. Ratas foram ovariectomizadas e receberam dieta controle (OvxC) ou rica em banha (OvxL) ou óleo de peixe (OvxF) por 8 semanas. O grupo falsa-ovariectomia (Sham) recebeu dieta controle. A ovariectomia aumentou a eficiência do alimento e o ganho de peso corporal e prejudicou a homeostase glicêmica e a hipofagia induzida por serotonina, efeitos que foram ou mantidos ou acentuados pela dieta banha mas atenuados pela dieta peixe. O grupo OvxL desenvolveu obesidade e hiperleptinemia. Quanto aos componentes do seistema serotoninérgico hipotalâmico, tanto a ovariectomia sozinha quanto combinada com dieta peixe aumentou a expressão de 5-HT2C, enquanto a dieta banha reduziu a expressão de 5-HT1B. A ovariectomia elevou o índice de ansiedade, avaliado no teste do labirinto em cruz elevado, e os dois grupos hiperlipídicos tiveram normalização deste índice. No teste de nado forçado, a ovariectomia aliada à dieta banha, mas não à dieta peixe, reduziu a latência para imobilidade, indicando vulnerabilidade para um estado de tipo depressive. A análise de regressão linear mostrou associação negative da AgRP hipocampal com o índice de ansiedade e associação positiva da AgRP hipotalâmica com a latência para imobilidade. Estas associações do gene AgRp são indicativas de um envolvimento benéfico deste neuropeptídio com a andiedade e a depressão.Estes achados demonstram alterações metabólicas, neuroquímicas e comportamentais após remoção dos ovários e indicam um efeito positivo da ingestão hiperlipídica sobre o comportamento de tipo ansioso induzido por ovariectomia. A observação de que a dieta peixe (rica em ácidos graxos poliinsaturados ômega-3), mas não a dieta banha (rica em ácidos graxos saturados), não causou consequências metabólicas e neuroquímicas deletérias, indica o interesse de estudos focados no potencial deste componente da como um agente ansiolítico adjuvante após a menopausa. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.