Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de antioxidantes na modulação da lipase lipoproteica por alteração de proteoglicanos de heparam sulfato em células endoteliais

Processo: 19/03024-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2019 - 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Carina Mucciolo Melo
Beneficiário:Carina Mucciolo Melo
Instituição-sede: Centro Universitário Saúde ABC. Fundação do ABC. Santo André , SP, Brasil
Pesq. associados:Maria Aparecida da Silva Pinhal
Assunto(s):Glicosaminoglicanos  Antioxidantes  Dislipidemias  Proteoglicanas  Células endoteliais  Lipase lipoproteica  Heparitina sulfato 

Resumo

O desequilíbrio dos níveis de lipídeos séricos é um fator de risco para doenças cardiovasculares e cerebrovasculares. Estudos mostraram que a suplementação com 500mg/dia de vitamina C pode melhorar a a dislipidemia em adultos e crianças, porém os dados ainda são controversos. A melhora da dislipidemia pode estar relacionado ao aumento de sindecam-1 na superfície do endotélio, visto que o tratamento com este antioxidante pode alterar a degradação deste proteoglicano de heparam sulfato. Nos mamíferos, foram descritos quatro membros na família dos sindecans, o sindecam-1 parece estar relacionado a interação das lipoproteínas com a lipase lipoproteica (LPL) e o endotélio. A LPL é uma enzima multifuncional que participa do transporte de lipídeos, tendo como função a hidrólise do triacilglicerol contido nas lipoproteínas quilomícron e very-low density lipoprotein (VLDL). Pelo motivos apresentados, temos o interesse em analisar se a utilização de antioxidantes diminui o shedding de sindecam-1 de células endoteliais e consequentemente altera a interação da LPL com os vasos sanguíneos. Os ensaios serão realizados utilizando linhagem celular de células endoteliais, bem como modelo in vivo utilizando zebrafish. O metabolismo e transporte de lipídeos do zebrafish é similar ao que é visto em humanos, sendo que as enzimas e apoproteínas envolvidas são conservadas. A vantagem deste modelo animal é que o acasalamento gera centenas de embriões, o que permite o uso de maior número de amostra, substâncias podem ser administradas na água de nado e ensaios com microscopia confocal pode ser realizadas nos embriões íntegros e vivos, o que permite a obtenção de imagens do transporte de lipídeos em tempo real. (AU)