Busca avançada
Ano de início
Entree

Temporal binding na percepção de intervalos e eventos temporais: bases psicológicas e neurais comuns?

Processo: 19/08885-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2019 - 31 de outubro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Cognitiva
Convênio/Acordo: Cardiff University
Proposta de Mobilidade: SPRINT - Projetos de pesquisa - Mobilidade
Pesquisador responsável:André Mascioli Cravo
Beneficiário:André Mascioli Cravo
Pesq. responsável no exterior: Marc Buehner
Instituição no exterior: Cardiff University, País de Gales
Instituição-sede: Centro de Matemática, Computação e Cognição (CMCC). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/25161-8 - A representação de informações temporais na atividade neural, AP.R
Assunto(s):Neurociência cognitiva  Processos mentais  Percepção de tempo  Causalidade 

Resumo

O tempo é um determinante central de nossa interação com o meio ambiente. Ele permite que os organismos acompanhem o que está acontecendo no mundo ao seu redor e também a eles. Nossa capacidade de processar o tempo é multifacetada: por um lado, podemos rastrear o tempo de ocorrência de um evento em relação a outro; podemos julgar, por exemplo, se um relâmpago precedeu ou seguiu o trovão, ou se o elevador chegou antes ou depois de pressionarmos o botão de chamada. Por outro lado, também podemos acompanhar os intervalos temporais; registramos o tempo decorrido entre raio e trovão e usamos isso para estimar se uma tempestade está próxima ou distante, e desistimos de esperar pelo elevador se ele não chegar depois de um tempo específico após pressionar o botão. Não obstante a importância do processamento temporal para a vida cotidiana, a compreensão científica atual de como nossos cérebros controlam o tempo é relativamente pobre. Por exemplo, não está claro se mecanismos semelhantes participam do julgamento quando versus por quanto tempo algo aconteceu. Neste projeto, investigaremos até que ponto utilizamos mecanismos semelhantes para rastrear intervalos e ocorrências de eventos. Usaremos uma ilusão chamada temporal binding, na qual dois eventos causais são percebidos temporariamente atraídos um pelo outro. Em diferentes tarefas que medirão a percepção de intervalo e de eventos, mediremos a magnitude dessa ilusão. Os resultados revelarão se esses diferentes tipos de percepção temporal envolvem um único mecanismo ou se o desempenho depende de mecanismos dependentes de tarefas. (AU)