Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos de um programa de fortalecimento dos músculos do tornozelo e pé nos aspectos clínicos e biomecânicos da marcha em indivíduos com osteoartrite do joelho: ensaio clínico randomizado e cego

Processo: 19/21814-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2020 - 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Tania de Fatima Salvini
Beneficiário:Tania de Fatima Salvini
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Pesq. associados:Fábio Viadanna Serrão ; Francisco Alburquerque Sendín ; Henrique Pott Junior ; Isabel de Camargo Neves Sacco ; Paula Regina Mendes da Silva Serrão
Assunto(s):Dor  Biomecânica  Análise do movimento humano  Fisioterapia  Osteoartrite do joelho 

Resumo

ResumoIntrodução: O fortalecimento dos músculos do tronco e membros inferiores causam uma série de benefícios ao portador de osteoartrite do joelho (OAJ) mas não reduz a carga interna do joelho durante a marcha, sendo está a maior responsável pela progressão da doença. Estudos recentes mostraram que o fortalecimento dos músculos do tornozelo e do pé melhorou a absorção de impacto durante a marcha em idosos, a função em diabéticos e reduziu a dor patelofemoral. No entanto, não se sabe ainda se reduziriam também a carga interna do joelho em portadores de OAJ. A redução da sobrecarga do joelho em indivíduos com OAJ poderia melhorar a dor e retardar a progressão da doença, beneficiando essa população. Objetivo: Avaliar o efeito de um programa de fortalecimento dos músculos do tornozelo e do pé na dor, no consumo de analgésico, na funcionalidade e na biomecânica dos membros inferiores durante a marcha em indivíduos com OAJ. Métodos: Serão recrutados indivíduos com diagnóstico de OAJ, baseado nos critérios do American College of Rheumatology e, aleatoriamente, alocados em dois grupos: OAJ-Controle (sem intervenção) e OAJ-Exercício (submetido a um programa de exercícios para o tornozelo e o pé por 8 semanas). Serão avaliados a dor, o consumo de analgésicos, a funcionalidade e a biomecânica dos membros inferiores durante a marcha. Serão realizadas 3 avaliações em ambos os grupos: antes e imediatamente após o termino da intervenção e 8 semanas após o fim da intervenção (follow-up). As intervenções (3x/semana, dias alternados, durante 8 semanas) serão presenciais e supervisionadas. A análise dos resultados será por intenção de tratamento por meio de ANOVAs modelos mistos 2 x 3 (grupo x tempo), com nível de significância de ± = 0,05 e intervalo de confiança de 95%. A hipótese do estudo é que o fortalecimento da musculatura do tornozelo e do pé diminua a dor e melhore a biomecânica do joelho na marcha em portadores de OAJ. (AU)