Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo piloto para a adaptação cultural do Sistema de Prevenção Communities That Care ao Brasil

Resumo

Este projeto implica a realização de um estudo piloto para a adaptação cultural do Sistema de Prevenção Communities That Care (CTC) no Brasil, a ser desenvolvido em duas comunidades, uma localizada em Florianópolis e outra em São Paulo. O projeto inicia pela adaptação dos seus instrumentos de avaliação e de materiais de treinamento, desenvolvido através de um projeto multicêntrico internacional, envolvendo a UFSC, a UNIFESP e a University of Miami. O CTC é um dos sistemas de prevenção mais usado no mundo, baseado no modelo de saúde pública, com a aplicação de avaliações epidemiológicas de fatores de risco e proteção específicos da comunidade alvo, além do levantamento dos conhecimentos, objetivos e valores da comunidade, que servem de base para a definição dos programas preventivos que melhor se adequem às necessidades levantadas. O CTC é implementado em cinco etapas: a primeira corresponde à avaliação da comunidade sobre sua capacidade de enfrentar processos de mudança; assim como identificar recursos para a implementação do Sistema de Prevenção. A segunda refere-se à organização do conselho da comunidade, em que se iniciam os treinamentos sobre a ciência da prevenção e coalizão comunitária. Na terceira fase ocorre o levantamento de dados epidemiológicos visando o diagnóstico e perfil comunitário, através do Communities That Care Youth Survey (CTCYS), que faz o levantamento de fatores de risco e proteção com os jovens sobre uso de drogas, violências e bullying. Na quarta etapa o plano estratégico de ação é criado. O conselho comunitário define metas mensuráveis e os objetivos, com o foco na alteração de fatores de risco e comportamentos considerados problemáticos. A seleção do(s) programa(s) é realizada conforme as evidências produzidas para a realidade de cada país. No Brasil, temos alguns programas já adaptados culturalmente e que tem evidências comprovadas na realidade brasileira que poderão ser utilizados. Na quinta etapa realiza-se a implementação e avaliação dos programas, sendo solicitado que a coalizão comunitária acompanhe o monitoramento das estratégias de prevenção. O CTC foi avaliado em sua eficácia em muitos estudos avaliativos em vários países, sendo que também está em processo de adaptação em países latino-americanos como Colômbia, Chile e Panamá. Serão utilizados métodos mistos e triangulação na análise dos dados, que implica na combinação de múltiplas estratégias de pesquisa capazes de apreender as dimensões qualitativas e quantitativas do objeto. Os resultados poderão subsidiar as duas comunidades na implantação de políticas públicas em prevenção escolar e comunitária ao uso de drogas e violência. As metas desse estudo são contribuir para a construção de uma agenda estratégica do governo de Santa Catarina e de São Paulo em termos de políticas públicas de prevenção às vulnerabilidades psicossocial e promoção de saúde e contribuir para a consolidação da Ciência da Prevenção no Brasil. O projeto foi submetido ao comitê de ética da UFSC e tem aprovação sob número CAAE 02776818.2.0000.0121 e nº do parecer: 3.037.293. Será feito um adendo para detalhes técnicos deste novo projeto. Adicionalmente o projeto também será submetido para apreciação do Comitê de Ética em Pesquisa da UNIFESP. O cronograma do estudo piloto está previsto para ser desenvolvido entre agosto de 2020 e julho de 2022. (AU)