Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressao de metalonoproteinase 9 (mmp9) e uroquinase (upar) em prostatas caninas com neoplasia intra-epitelial prostatica (pin) e atrofia inflamatoria proliferativa (pia)

Resumo

Algumas lesões displásicas da próstata humana, como a neoplasia intra-epitelial prostática (PIN) e a atrofia inflamatória proliferativa (PIA), são consideradas pré-neoplásicas e podem evoluir para o câncer prostático maligno. Já nos cães, essas alterações proliferativas da próstata são ainda pouco entendidas. Diante disso, o projeto tem por objetivo analisar as displasias da próstata canina, classificá-las de acordo com os critérios de PIN e PIA, bem como verificar se tais lesões enquadram-se no conceito imunológico de lesões pré-neoplásicas de origem prostática. Para tal, as displasias serão classificadas em PIN e PIA, por meio de exame histopatológico, utilizando-se critérios morfológicos predefinidos para o diagnóstico dessas lesões. A imunoistoquímica será empregada para verificar a expressão tecidual prostática de metaloproteinase 9 (MMP9) e uroquinase (uPAR), e determinar o potencial invasivo das lesões estudadas, uma vez que a MMP9 e a uPAR são enzimas envolvidas no processo de invasão tumoral e metástase, causando destruição de barreiras biológicas como a membrana basal. Serão utilizadas 80 próstatas caninas, de onde serão classificadas, no mínimo, 10 lesões de PIN e 30 de PIA (discreta, moderada e acentuada). Haverá um grupo controle composto de amostras prostáticas com morfologia normal. Após a classificação histológica será realizada a imunoistoquímica com os anticorpos anti-MMP9 (Dako A0150) e anti-uPAR (Dako M7294), para verificação da expressão dessas proteínas no tecido prostático canino normal e com PIN e PIA, já que existe correlação entre agressividade tumoral e expressão de proteases como as MMPs e uPAR. Também será comparada e correlacionada a expressão dos marcadores entre os diferentes grupos. (AU)