Busca avançada
Ano de início
Entree

Aplicação dos processos oxidativos avançados (POA) a partir da eletrogeração de H2O2 in situ para a degradação dos corantes alimentícios

Processo: 11/00535-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2011 - 30 de junho de 2013
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Tratamentos de Águas de Abastecimento e Residuárias
Pesquisador responsável:Marcos Roberto de Vasconcelos Lanza
Beneficiário:Marcos Roberto de Vasconcelos Lanza
Instituição-sede: Instituto de Química de São Carlos (IQSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Pesq. associados:André Augusto Gutierres Fernandes Beati ; Robson da Silva Rocha
Assunto(s):Tratamento de águas residuárias  Técnicas eletroquímicas  Corantes  Peróxido de hidrogênio 

Resumo

A poluição no meio aquático se caracteriza pelo lançamento ou infiltração de substâncias nocivas na água. As atividades agrícolas, industriais, mineradoras e os esgotos são as principais fontes causadoras desse tipo de poluição. Compostos orgânicos como pigmentos e corantes causam diversos problemas por sua presença indevida no meio ambiente. Estes compostos apresentam uma grande variedade de cores e estruturas químicas cada vez mais resistentes à degradação. Este trabalho apresenta como foco a aplicação de diversas tecnologias de POA (Processos Oxidativos Avançados) utilizados de forma conjugada aos processos eletroquímicos, este último por meio da oxidação usando eletrodos do tipo ânodos dimensionalmente estáveis (DSA®) comerciais, que são conhecidos por suas excelentes propriedades eletrocatalíticas e estabilidade; e/ou pelo tratamento eletroquímico indireto, eletrogerando peróxido de hidrogênio pela redução de oxigênio em eletrodos de difusão gasosa (EDG) produzidos com pigmentos grafíticos condutores e modificados pela adição de catalisadores orgânicos redox insolúveis (quinonas) para degradar corantes alimentícios da classe azo e trifenilmetano consequentemente, Amaranto (Vermelho), Tartrazina (Amarelo), Azul Brilhante FCF e Verde Rápido que atuam como contaminantes da biota aquática. Neste contexto, os POA conjugados aos processos eletroquímicos apresentam-se como uma alternativa viável de tratamento para águas contaminadas com compostos orgânicos, pois devido ao alto potencial de mineralização dos poluentes orgânicos, levam à formação de dióxido de carbono, água e ânions inorgânicos, ou seja, minimizam qualquer formação de resíduos. A eficiência do processo de descontaminação será avaliada pelas concentrações iniciais e finais dos corantes. As técnicas analíticas empregadas para quantificação dos compostos serão a cromatografia gasosa acoplada ao espectrômetro de massas e a medida de concentração de carbono orgânico dissolvido. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BARROS, WILLYAM R. P.; ERENO, THAIS; TAVARES, ANA C.; LANZA, MARCOS R. V. In Situ Electrochemical Generation of Hydrogen Peroxide in Alkaline Aqueous Solution by using an Unmodified Gas Diffusion Electrode. CHEMELECTROCHEM, v. 2, n. 5, p. 714-719, MAY 13 2015. Citações Web of Science: 36.
STETER, JULIANA R.; BARROS, WILLYAM R. P.; LANZA, MARCOS R. V.; MOTHEO, ARTUR J. Electrochemical and sonoelectrochemical processes applied to amaranth dye degradation. Chemosphere, v. 117, p. 200-207, DEC 2014. Citações Web of Science: 40.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.