Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de polimorfismos genéticos em mulheres inférteis, sua correlação com a síntese de estradiol e homocisteína folicular e sérica e com resultados de reprodução assistida

Processo: 10/16274-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2011 - 30 de junho de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Caio Parente Barbosa
Beneficiário:Caio Parente Barbosa
Instituição-sede: Faculdade de Medicina do ABC (FMABC). Organização Social de Saúde. Fundação do ABC. Santo André , SP, Brasil
Pesq. associados:Bianca Alves Vieira Bianco ; Denise Maria Christofolini
Assunto(s):Ginecologia 

Resumo

A infertilidade acomete 20% dos casais em idade fértil. Aproximadamente 30% das causas de infertilidade estão relacionadas a fatores femininos, 30% a fatores masculinos, 30% dos casos ambos os fatores estão presentes e 10% não apresentam causa aparente. Cerca de 15% das causas de infertilidade feminina são genéticas e incluem mutações gênicas e aberrações cromossômicas, geradas por erros na divisão celular. O metabolismo do folato está envolvido em um grande número dos processos fisiológicos e patológicos. Os folatos participam no metabolismo de aminoácidos, síntese de purinas e pirimidina, e metilação dos ácidos nucléicos, proteínas e lipídios. A deficiência de folatos é determinada geneticamente ou pela dieta e pode comprometer a função dessas vias metabólicas e conduzir ao acumúmulo de homocisteína. Os possíveis efeitos desfavoráveis da deficiência de folato e acúmulo de homocisteína nas funções reprodutivas femininas incluem a deficiência de divisão celular, a produção de citocinas inflamatórias, alteração do metabolismo do óxido nítrico, o aumento do estresse oxidativo, taxas elevadas de apoptose e alterações nas reações de metilação. Todos esses processos estão envolvidos no desenvolvimento de oócitos, a preparação da receptividade endometrial, implantação do embrião e, também na gravidez. As vias de metabolismo do folato podem ser modificadas por polimorfismos em genes envolvidos na absorção e metabolismo de folato. Estes polimorfismos podem alterar o efeito benéfico de folatos e outras vitaminas do complexo B, que desempenham um papel no metabolismo de grupos metil e alterar o fluxo de cofatores entre a síntese de DNA e as reações de metilação.Foi sugerido que a síntese de andrógenos e estrógeno seria influenciada pela presença de polimorfismos no gene MTHFR, a variação mais importante no metabolismo do folato. Thaler et al. (2006) demonstraram que os pacientes que são submetidos à técnicas de reprodução assistida portadores do alelo T possuem resposta ovariana reduzida em relação ao estímulo com FSH recombinante (r). Além disso, estes pacientes apresentam significativamente concentrações mais baixas de estrógeno sérico e produzem significantemente menos oócitos recuperados.Durante a maturação folicular, é o fluido folicular (FF) que provê o microambiente necessário para desenvolvimento do oócito e contêm muitas substâncias envolvidas na maturação oocitária, fertilização e possivelmente nodesenvolvimento do embrião. Assim, alterações nesse microambiente podem resultar em disfunção ovulatória, má qualidade do oócito, taxa de fertilização reduzida, embriões de baixa qualidade e as taxas de implantação reduzidas.Além disso, Naessen et al. (2010) compararam as concentrações de estrogênio e esteroides precursores no líquido folicular de mulheres com síndrome dos ovários policísticos e concluíram que essas mulheres tinham maior atividade da enzima CYP17 e menor atividade da CYP19 no líquido folicular, sugerindo que essas informações poderiam ser úteis na reprodução humana assistida.Dessa forma, o objetivo do presente estudo é identificar a freqüência dos polimorfismos dos genes MTHFR (C677T, A1298C e G1793A), MTRR (A66G), MTR (A2756G), FOLR1 (G1314A e G1841A), ER± (PvuII e XbaI) e ER² (RsaI e AluI ) em mulheres submetidas à técnicas de reprodução assistida e controles, correlacionar os achados dos polimorfismos dos genes MTHFR, ER± e ER² aos níveis de estradiol e homocisteína no líquido folicular e estradiol, homocisteína, vitamina B12 e ácido fólico no sangue periférico, além de correlacionar os resultados de reprodução assistida como número e qualidade dos oócitos, número e qualidade dos embriões, taxa de gravidez, taxas de abortamento, gemelaridade e nascimentos. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
AMARO, ALINE; POLERA, DANIELA; DOS SANTOS FIGUEIREDO, FRANCISCO WINTER; BIANCO, BIANCA; CHRISTOFOLINI, DENISE MARIA; BARBOSA, CAIO PARENTE. The Impact of Variants in Genes Associated with Estradiol Synthesis on Hormone Levels and Oocyte Retrieval in Patients Who Underwent Controlled Ovarian Hyperstimulation. GENETIC TESTING AND MOLECULAR BIOMARKERS, v. 23, n. 2, p. 145-149, FEB 1 2019. Citações Web of Science: 0.
D'ELIA, PRISCILA QUEIROZ; DOS SANTOS, ALINE AMARO; BIANCO, BIANCA; BARBOSA, CAIO PARENTE; CHRISTOFOLINI, DENISE MARIA; AOKI, TSUTOMU. MTHFR polymorphisms C677T and A1298C and associations with IVF outcomes in Brazilian women. Reproductive BioMedicine Online, v. 28, n. 6, p. 733-738, JUN 2014. Citações Web of Science: 8.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.