Busca avançada
Ano de início
Entree

Métodos de debicagem em poedeiras comerciais

Processo: 13/00663-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2013 - 31 de maio de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Produção Animal
Pesquisador responsável:Edivaldo Antônio Garcia
Beneficiário:Edivaldo Antônio Garcia
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Assunto(s):Aves poedeiras  Bico  Canibalismo animal  Bem-estar do animal  Radiação infravermelha 

Resumo

O objetivo deste estudo será avaliar o desempenho de poedeiras debicadas por radiação infravermelha comparativamente ao método de debicagem convencional utilizando lâmina quente. Em delineamento inteiramente casualizado, serão utilizadas 800 pintainhas na fase de cria (0-5 semanas) distribuídas em oito tratamentos e cinco repetições com 21 aves/cada. Na fase de recria (7-16 semanas), serão utilizadas 672 aves distribuídas em oito tratamentos e seis repetições com 14 aves/cada. Nestas fases serão avaliados ganho de peso, consumo de ração, uniformidade, frequência de canibalismo, viabilidade e comprimento de bico. Na fase de produção (17-26 semanas), serão utilizadas 576 poedeiras distribuídas em 16 tratamentos e seis repetições com seis aves/cada, com avaliações de ganho de peso, consumo de ração, freqüência de canibalismo, viabilidade, comprimento de bico, idade ao primeiro ovo e produção de ovos. Os tratamentos de debicagem por radiação infravermelha corresponderão (T1, T2 e T3), sendo a debicagem moderada caracterizada pela de interface medindo 27/23 mm e (T4, T5 e T6) debicagem severa 25/23 mm, que definem a área a ser tratada no bico, com utilização de três intensidades de luz infravermelha: baixa (42 nm), intermediária (46 nm) e alta (52 nm) respectivamente. Os tratamentos T7 e T8 corresponderão a debicagem moderada (4,5 mm da narina) e severa (2 mm da narina) pelo método convencional utilizando lâmina quente, aos seis dias de vida. Na 10o semana metade das aves de cada tratamento serão submetidas à segunda debicagem (4 mm da narina). Os valores obtidos para cada característica serão submetidos à análise de variância para experimentos inteiramente ao acaso em esquema fatorial (2x3) + 2 com comparação entre pares de médias realizadas pelo teste Tukey a 5% de probabilidade. Adicionalmente será realizado o teste de Dunnett para comparação das médias dos fatoriais aos controles. As variáveis que não apresentarem distribuição normal serão transformadas [(x + 0,5) ^0,5] para aplicação das análises. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.