Busca avançada
Ano de início
Entree

Effects of pectoralis minor stretching on resting muscle length and scapular kinematics during elevation of the arm in asymptomatics subjects and people with shoulder pain

Processo: 13/50363-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Convênio/Acordo: Ohio State University
Pesquisador responsável:Paula Rezende Camargo
Beneficiário:Paula Rezende Camargo
Pesq. responsável no exterior: John David Borstad
Instituição no exterior: Ohio State University, Columbus, Estados Unidos
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/20305-8 - Efeitos do alongamento do peitoral menor no comprimento muscular de repouso e cinemática escapular durante elevação do braço em sujeitos assintomáticos e portadores de dor no ombro, AP.R
Assunto(s):Reabilitação (terapêutica médica)  Músculos peitorais  Escápula  Exercícios de alongamento muscular 

Resumo

Existem evidências de que o encurtamento do músculo peitoral menor é um importante fator de alteração biomecânica e pode influenciar a cinemática da escápula. O alongamento de tal músculo é uma das técnicas mais utilizadas na prática clínica na tentativa de diminuição da dor e melhora da função em indivíduos com dores no ombro. No entanto, essa técnica não é a única utilizada em um protocolo de reabilitação. Há falta de estudos que avaliem a real eficácia de um programa de alongamento para o músculo peitoral menor no seu comprimento de repouso e cinemática escapular. Sendo assim, o objetivo deste estudo será verificar os efeitos de um protocolo de alongamento para o músculo peitoral menor no seu comprimento de repouso e na cinemática 3D da escápula durante a flexão do braço em sujeitos assintomáticos e portadores da síndrome do impacto com o músculo peitoral menor encurtado. Serão recrutados 50 indivíduos (25 sintomáticos e 25 assintomáticos para dor no ombro). Todos passarão por 2 avaliações iniciais, com período de uma semana entre as mesmas. Em cada dia, dois questionários (DASH e SPADI) para avaliação de dor e função do ombro serão aplicados. O comprimento de repouso do peitoral menor e a cinemática da escápula durante flexão do braço serão registrados por meio de um sistema de rastreamento eletromagnético. Inicialmente, será registrado o comprimento de repouso do peitoral menor, e na sequência, 3 repetições de elevação do braço no plano sagital serão realizadas... (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ROSA, DAYANA P.; BORSTAD, JOHN D.; POGETTI, LIVIA S.; CAMARGO, PAULA R. Effects of a stretching protocol for the pectoralis minor on muscle length, function, and scapular kinematics in individuals with and without shoulder pain. JOURNAL OF HAND THERAPY, v. 30, n. 1, p. 20-29, JAN-MAR 2017. Citações Web of Science: 7.
ROSA, DAYANA P.; BORSTAD, JOHN D.; PIRES, ELISA D.; CAMARGO, PAULA R. Reliability of measuring pectoralis minor muscle resting length in subjects with and without signs of shoulder impingement. BRAZILIAN JOURNAL OF PHYSICAL THERAPY, v. 20, n. 2, p. 176-183, MAR-APR 2016. Citações Web of Science: 11.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.