Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da Moringa oleifera na remoção de cianobactérias e cianotoxinas na filtração lenta com não tecidos

Processo: 13/22937-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2014 - 31 de janeiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Engenharia Agrícola - Engenharia de Água e Solo
Pesquisador responsável:José Euclides Stipp Paterniani
Beneficiário:José Euclides Stipp Paterniani
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Agrícola (FEAGRI). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Maria Do Carmo Bittencourt de Oliveira ; Selma Gouvêa de Barros
Assunto(s):Tratamento de água  Poluição da água por micro-organismos  Cianobactérias  Filtração lenta  Moringa oleifera  Imunoensaio 

Resumo

Cianobactérias são organismos formadores de florações em mananciais de captação de água para consumo humano e representam uma séria preocupação para Saúde Pública por produzirem cianotoxinas altamente hidrossolúveis. A Portaria no2914/2011 do Ministério da Saúde proibiu o uso de algicidas em águas utilizadas para abastecimento humano, pois tais produtos causam a lise celular e liberam altas concentrações de microcistinas (MCs) na água. Esta mesma legislação manteve o limite máximo tolerável de 1,0 ¼g.L-1 de microcistina-LR (MC-LR) na água tratada recomendada pela Organização Mundial de Saúde. A microcistina, a mais conhecida e estudada cianotoxina com efeitos hepatotóxicos é produzida e liberada parcialmente no meio aquático, existindo as frações de MCs intra e extracelular. A planta arbórea Moringa oleífera é conhecida por produzir sementes com capacidade de coagulação de partículas suspensas. Alguns estudos indicaram sua eficiência na remoção de células de cianobactérias e também seu potencial cianobactericida. Outros estudos indicaram a capacidade de remoção de cianobactérias e suas toxinas com uso de filtros lentos, uma tecnologia de tratamento de água de baixo custo e fácil operação. A associação do filtro lento com a manta sintética não tecida diminui ainda mais o custo da filtração lenta. No presente projeto serão realizados ensaios de coagulação/floculação de sementes de moringa e cianobactérias em concentrações comparáveis àquelas de florações naturais, com auxílio de aparelho jar-test. Além disso, serão realizados ensaios de filtração lenta com água contendo microcistinas dissolvidas associadas à manta sintética não tecida. A quantificação de células de cianobactérias será realizada por contagem direta em microscópio óptico e a quantificação de microcistinas será realizada por imunoensaios ELISA, além da obtenção da turbidez do efluente dos testes. Espera-se que a retenção e degradação de microcistinas intra e extracelular atinja a concentração máxima permitida na legislação brasileira. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GOUVEA-BARROS, SELMA; BITTENCOURT-OLIVEIRA, MARIA D. C.; PATERNIANI, JOSE E. S. Moringa-Seed-Based Coagulant Removes Microcystins Dissolved in Water. CLEAN-SOIL AIR WATER, v. 47, n. 6 JUN 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.