Busca avançada
Ano de início
Entree

Reguladores de crescimento vegetais associados à biossíntese de compostos voláteis do aroma em frutos climatéricos e não-climatéricos

Processo: 13/09303-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2014 - 29 de fevereiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Eduardo Purgatto
Beneficiário:Eduardo Purgatto
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Luciano Freschi
Assunto(s):Fisiologia pós-colheita  Jasmonatos  Auxinas  Ácido abscísico  Conservação de alimentos 

Resumo

O aroma de um fruto é um dentre os vários atributos de qualidade importantes para a satisfação dos consumidores e que influencia de maneira significativa sua escolha. Embora substâncias como açúcares, ácidos, taninos e outros contribuam para o sabor, são os compostos voláteis com notas aromáticas, os responsáveis pelo aroma e sabor únicos de cada fruto. A grande maioria dos voláteis derivam de basicamente três tipos de precursores: carboidratos, lipídeos e aminoácidos. A diversidade de compostos de aroma varia de espécie para espécie, mas mesmo entre variedades do mesmo fruto é fácil encontrar diferenças substanciais na sua composição. Apesar de todo o conhecimento acumulado acerca da formação do aroma em frutos, os fatores que a regulam, particularmente durante o amadurecimento, ainda são pouco claros. Um número significativo de evidências tem apontado o etileno como um fator fundamental para a formação do aroma. De fato, frutos transgênicos com reduzida produção de etileno, apesar do prolongamento da vida pós-colheita, apresentam prejuízos significativos na síntese de compostos voláteis, mesmo sob tratamento com etileno exógeno. Do mesmo modo, o armazenamento a baixa temperatura, logo após a colheita de frutos como banana, papaia e manga, reduz a produção de compostos de aroma, mesmo após a remoção para temperaturas mais altas, nas quais a síntese de etileno em níveis climatéricos é retomada. Tais resultados apontam para a existência de outros fatores - muito provavelmente outros hormônios associados ao etileno - no controle das mudanças metabólicas que promovem a formação do aroma nos frutos em amadurecimento. Neste contexto, dados da literatura parecem indicar que, além do etileno, outras três classes hormonais representadas pelo ácido indol-3-acético (AIA), ácido abscísico (ABA) e metil-jasmonato (MJ) parecem influenciar vários dos aspectos do amadurecimento. A formação do aroma, contudo, tem sido um dos processos menos estudados em frutos submetidos ao tratamento com os hormônios citados. Assim, o objetivo deste trabalho é avaliar os efeitos da aplicação de AIA, ABA e MJ sobre a produção do aroma em frutos climatéricos e não-climatéricos. O tomate será usado como modelo de estudo para frutos climatéricos e o morango, para não-climatéricos. Espera-se delinear não apenas os efeitos, identificando vias metabólicas afetadas por um ou mais dos hormônios citados, mas também avaliar se os mecanismos desta influência passam por algum tipo de interferência na biossíntese ou sinalização do etileno. Além disso, ao trabalhar com um fruto climatérico e um não-climatérico, espera-se identificar se os efeitos dos hormônios podem ser similares, sugerindo mecanismos de ação conservados entre os dois tipos de frutos. No caso dos estudos em morangos, espera-se ainda avaliar a extensão do papel do etileno na formação do aroma em fruto não-climatérico. Com isso, o projeto poderá fortalecer as bases não apenas para a compreensão dos processos de sinalização envolvidos na regulação da biossíntese de compostos voláteis, mas também subsidiar novas aplicações tecnológicas que possam contornar os efeitos negativos que técnicas de conservação pós-colheita possam induzir na produção do aroma em frutos. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MORO, LAIS; AYMOTO HASSIMOTTO, NEUZA MARIKO; PURGATTO, EDUARDO. Postharvest Auxin and Methyl Jasmonate Effect on Anthocyanin Biosynthesis in Red Raspberry (Rubus idaeus L.). JOURNAL OF PLANT GROWTH REGULATION, v. 36, n. 3, p. 773-782, SEP 2017. Citações Web of Science: 5.
GOMES, BRUNA LIMA; FABI, JOAO PAULO; PURGATTO, EDUARDO. Cold storage affects the volatile profile and expression of a putative linalool synthase of papaya fruit. Food Research International, v. 89, n. 1, p. 654-660, NOV 2016. Citações Web of Science: 10.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.