Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da Associação da Vitamina D e dos Inibidores da 3-Hidroximetilglutaril CoA Redutase na Função Endotelial e no Sistema Renina-Angiotensina-Aldosterona em Portadores de Hipertensão Arterial: um Estudo Duplo-Cego Placebo-Controlado.

Resumo

A hipertensão arterial sistêmica, entidade de alta prevalência e determinante de doenças cardiovasculares, gera grande impacto na morbi-mortalidade e no custo social da população acometida. Há mais de duas décadas, têm-se avaliado potenciais benefícios da suplementação de vitamina D no tratamento da hipertensão arterial. Publicações baseadas em desenhos transversais demonstram associação inversa entre níveis séricos de vitamina D e valores de pressão arterial. No entanto, o número de estudos de intervenção é limitado e lança questionamentos sobre relação causal, interação em longo prazo e benefício da suplementação de colecalciferol no controle pressórico. Um dos possíveis mecanismos atribuídos ao potencial efeito hipotensor do colecalciferaol se relaciona à estabilização da função endotelial e interação com o sistema renina-angiotensina. Marcador e promotor de disfunção endotelial, a dimetil-arginina-assimétrica (ADMA) é um potente inibidor competitivo da óxido nítrico sintase, enzima responsável pela síntese de óxido nítrico (NO). Recentemente, demonstrou-se que pacientes com valores reduzidos de 25-OH vitamina D apresentam níveis elevados de ADMA, vinculando a insuficiência dessa vitamina com a disfunção endotelial mediada pela deficiência absoluta ou relativa da NOS. No contexto do estudo função endotelial, destacam-se as crescentes evidências do benefício dos inibidores da 3-hidroximetilglutaril CoA redutase (estatinas) na redução da inflamação através de efeitos pleiotrópicos, envolvidos nos benefícios proporcionados na prevenção primária e secundária de eventos cardiovasculares. Publicações recentes dão conta de uma interação entre estatina e vitamina D, na qual a adição dos inibidores da HMG-CoA redutase proporciona um incremento nos níveis séricos dessa última e na qual níveis elevados de vitamina D estão associados a modificações benéficas no perfil lipídico, caracterizados por preponderância de partículas de HDL colesterol de maior diâmetro.Este estudo, dicotomizado em protocolo clínico e experimental, tem como objetivo investigar o efeito da associação entre atorvastatina e vitamina D3, comparadas com seus respectivos placebos, sobre a pressão arterial, função endotelial aferida pela dimetil-arginina-assimétrica (ADMA), perfil inflamatório e metabolismo ósseo em pacientes portadores de hipertensão arterial. No protocolo clínico, em estudo duplo-cego placebo-controlado, sessenta pacientes hipertensos tratados serão randomizados em quatro grupos (desenho de estudo 2x2 fatorial) e acompanhados por período de 20 semanas. Indivíduos elegíveis serão randomizados em uma razão 1:1:1:1. A pressão arterial será avaliada por medidas pressóricas durante consultas e através de MAPA e tonometria (AtCor) e o metabolismo ósseo. O protocolo experimental consiste no estudo da função endotelial aferida pela ADMA e do sistema renina-angiotensina em cultura de células endoteliais (HUVEC) exposta a "pool" de soro procedente dos quatro grupos de indivíduos do protocolo clínico. A atividade inflamatória e a aferição de espécies reativas de oxigênio produzidas pelas HUVEC serão analisadas por citometria de fluxo. Reações utilizando primers específicos para os genes ADMA, VDR, TNF-alfa, IL-10 e angiotensina II e para genes "housekeepers" serão sistematicamente executadas e todos os valores obtidos para genes de interesse serão normalizados por estes resultados. (AU)