Busca avançada
Ano de início
Entree

Armazenamento de cargas em fases deficientes em oxigênio do TiO2: física de defeitos sem defeitos

Processo: 16/11429-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de julho de 2016 - 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física da Matéria Condensada
Pesquisador responsável:Gustavo Martini Dalpian
Beneficiário:Gustavo Martini Dalpian
Instituição-sede: Centro de Ciências Naturais e Humanas (CCNH). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Assunto(s):Estados eletrônicos  Defeitos  Dióxido de titânio 

Resumo

Defeitos em semicondutores podem exibir múltiplos estados de carga, que podem ser usados para propósitos de armazenamento de carga. Neste trabalho consideramos este tipo de armazenamento de carga em fases deficientes em oxigênio do TiO2, conhecidas como Fases de Magnéli. Essas fases apresentam estruturas cristalinas bem definidas, i.e., o desvio da estqeuiometria é acomodado pelas mudanças da simetria em vez de defeitos pontuais. Nós mostramos que essas fases podem apresentar bandas intermediárias com a mesma estrutura eletrônica que defeitos intersticiais de Ti. Desta forma, as fases Magnéli se apresentam como se contivesem uma grande densidade de pseudo-defeitos. Dependendo da energia de Fermi, essas fases podem fazer com que todo o material fique carregado. Esses materiais são armazenadores naturais de carga que competem com os melhores supercapacitores conhecidos. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PADILHA, A. C. M.; RAEBIGER, H.; ROCHA, A. R.; DALPIAN, G. M. Charge storage in oxygen deficient phases of TiO2: defect Physics without defects. SCIENTIFIC REPORTS, v. 6, JUL 1 2016. Citações Web of Science: 19.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.