Busca avançada
Ano de início
Entree

Remate de males: o amor, a música e o folclore

Resumo

No estudo de Clã do jabuti (1927), que realizei na iniciação científica e no mestrado, com bolsa da FAPESP, sob a orientação da professora Laura Beatriz Fonseca de Almeida, veio à tona a especificidade musical da escrita poética de Mário de Andrade, como pode ser conferido no livro que teve origem na dissertação, Clã do jabuti: uma partitura de palavras, publicado com auxílio da FAPESP. No trabalho de doutoramento, sob a orientação do professor Alcides Villaça, também com apoio da FAPESP, estudei o desdobrar da experiência lírica musical, com base na leitura cerrada de poemas de Remate de males (1930), momento em que ficou clara a relação que se estabelece entre a música, presença constante no pensamento estético do teórico, e os versos de amor do modernista, já que a retomada de estruturas musicais populares marca a experiência amorosa do eu lírico. A tese de doutorado dá base ao livro a ser agora publicado - Remate de males: o amor, a música e o folclore -, volume em que realizo o estudo da poesia amorosa de Mário de Andrade, construída por meio da atualização da música e da dança popular, estudo desdobrado, atualmente, na pesquisa de pós-doutorado, realizada no IEB-USP, sob supervisão da professora Telê Ancona Lopez, com bolsa da FAPESP.No livro, a fim de compreendermos a face musical e amorosa do modernista, busco, em Remate de males (1930), a música dos versos de amor, construída por meio do seu ritmo singular que, ao lado da plasticidade sonora dos fonemas, dá forma à música feita com palavras, elaborada ainda por meio de recursos musicais incorporados à estrutura poética, como o tema e a variação, assim como por meio da atualização de formas musicais populares, como o improviso típico da moda. Além disso, a face musical de Mário de Andrade se deixa perceber, no livro de 1930, por meio retomada da estrutura e de aspectos significativos das Danças Dramáticas, realizada em grupos de poemas amorosos - Tempo da Maria, Poemas da negra e Poemas da amiga.Em Tempo da Maria, o poeta atualiza a estrutura dos bailados populares, como o bumba-meu-boi e os reisados, recuperando a luta entre forças opostas, típica dos folguedos, ao mostrar o embate entre o desejo do poeta e a proibição do amor. Outro aspecto das danças, a morte e a ressurreição, também pode ser percebido, nos versos, já que o eu lírico, após sua dispersão no início do grupo, realiza esforço de reunificação em "Louvação da tarde". Nos Poemas da negra, a forma do bailado não é recuperada explicitamente, mas está presente nos poemas, já que, retomando o caráter tonal da fuga, assim como a luta típica das Danças, dois temas - o poeta e a negra - se perseguem até a conjugação dos corpos, gozo que invoca o momento de resolução tonal da música, assim como a etapa intensa do mito da procura, presente nos bailados populares, em que o herói sofre o despedaçamento, seguido pelo momento de ressurreição. Já nos Poemas da amiga, dois temas se perseguem mutuamente - o poeta e a amiga -, em uma fuga amorosa e musical, retomando aspectos das Danças. No entanto, no último grupo de Remate de males, a luta sensual é amena e o desejo é sorvido com prazer, sendo mais importante do que a consumação amorosa, apontando para o desfazimento do eu-boi sacrificial.Assim, a leitura dos versos permite perceber a expressão do sentimento amoroso em Remate de males ao lado da atualização da música popular. Além disso, ao darmos ênfase ao diálogo entre o tema de amor e a sensibilidade musical de Mário de Andrade, procurando apontar em que medida a música aparece em seus versos amorosos, compreendemos a configuração do sujeito lírico mariodeandradino.A qualidade do trabalho foi reconhecida pela banca do Doutorado, que recomendou a sua publicação, considerando-o digno de louvor, qualidade percebida ainda pela instituição, ao indicá-lo para o Prêmio Capes de Teses de 2010. Além disso, a publicação do livro é recomendada, já que o número de volumes sobre a poesia de Mário de Andrade é reduzido. (AU)