Busca avançada
Ano de início
Entree

An extensive pockmark field on the upper Atlantic margin of Southeast Brazil:spatial analysis and its relationship with salt diapirism

Processo: 17/03438-8
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de maio de 2017 - 31 de outubro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Geológica
Pesquisador responsável:Michel Michaelovitch de Mahiques
Beneficiário:Michel Michaelovitch de Mahiques
Instituição Sede: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Talude continental  Sedimentologia  Estratigrafia 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Estratigrafia | Pockmarks | sedimentação | talude continental | Sedimentação

Resumo

Apresentamos novas evidências para a existência de um grande campo de pockmark no talude continental da Bacia de Santos, sudeste do Brasil. Um recente levantamento batimétrico multi-feixe de alta resolução revelou 984 marcas de pico através de um fundo do mar liso em profundidades de água de 300-700 m. Quatro padrões de matrizes de pockmark foram identificados nos dados: linear, rede, concêntrico e radial. Interpretação de Perfis bidimensionais de reflexão sísmica multicanal que cruzam a área pesquisada mostra numerosos diapiros de sal em vários estádios de desenvolvimento (por exemplo, cúpulas de sal, paredes e anticlinais). Alguns diapires foram expostos no fundo do mar, enquanto os topos de outros (cabeças diapir) foram situados várias centenas de metros abaixo da superfície. As falhas extensional tipicamente tapam estes diapirs e alcançam profundidades rasas abaixo do seafloor. Nossa análise sugere que esses padrões pockmark estão ligados a estágios no desenvolvimento de diapirs subjacentes e suas falhas relacionadas. O último pode estender-se acima das paredes de sal, assumir a forma de falhas extensional poligonal ao longo de sal superior anticlincias, ou falhas concêntricas acima de cabeças diapir que chegam perto do fundo do mar. Os dados sísmicos também revelaram campos de pockmark enterrados que se desenvolveram repetidamente desde o Mioceno Médio. A estreita relação espaço-temporal entre a distribuição de pockmark e diapir identificada aqui sugere que o campo de pockmark se estende ainda mais pelas Bacias de Campos e Espírito Santo, no alto mar do Brasil. Acredita-se que a sobreposição espacial entre o campo de pockmark no topo de um campo de diapir gigante e uma bacia de hidrocarboneto proliferante tenha facilitado a fuga de fluido / gás da subsuperfície para a coluna de água, que foi aumentada pela halocinese. Isto proporciona um possível controle sobre a contribuição do gás fóssil para o sistema marinho ao longo do tempo geológico. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)