Busca avançada
Ano de início
Entree

Mesenchymal stromal cell-derived microvesicles regulate an internal pro-inflammatory program in activated M1 Macrophages

Processo: 17/16215-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de setembro de 2017 - 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Niels Olsen Saraiva Câmara
Beneficiário:Niels Olsen Saraiva Câmara
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Biologia celular  Biologia molecular  Biologia geral 

Resumo

As células tronco mesenquimais (MSCs) são células multipotentes com capacidades para exercer respostas imunossupressoras que promovem a restauração tecidual. Estudos recentes, demonstraram que as MSC podem secretam vesículas extracelulares (MVs-MSCs) com funções reguladoras análogas as células parentais. Além disso, fortes evidências sugerem que as MVs-MSCs podem modular várias células imunes como por exemplo; Th1, Th17 e células T reguladoras. Porém, seu efeito preciso sobre os macrófagos (Mxs) permanecem ainda inexplorados. Nós investigamos o efeito imunorregulador das MVs-MSCs sobre M1- Mxs in vitro e in vivo empregando Mxs derivados de medula óssea e modelo experimental de peritonites aguda induzida por tioglicocolato. Respectivamente, nós observamos que as MVs-MSCs compartilhavam moléculas de superfície com células MSCs parentais (CD44, CD105, CD90,CD73) e expressaram marcadores de microvesículas clássicos (Anexin V e CD9). O tratamento in vitro com MVs-MSCs promoveram um fenótipo M1 regulatório, que exibiu níveis de CD206 mais elevados e expressão reduzida de CCR7 que os controles. Esse fato, também foi associado a níveis diminuídos de moléculas inflamatórias (IL-1², IL-6, NO) e marcadores imunorreguladores aumentados (IL-10 e Arginase) nos M1-Mxs. Além disso, detectamos que MVs-MSCs promoveu uma baixa expressão de miRNAS inflamatórios (miR-155 e miR-21) bem como aumentou a expressão do SOCS3 em M1-Mxs. In vivo, o tratamento com MVs-MSC reduziu o infiltrado de Mxs na cavidade peritoneal induzindo um fenótipo regulatório similar a M2 em Mxs peritoneais (maior atividade de arginase e expressão reduzida de CD86, iNOS, IFN-³, IL-1², TNF-a, IL-1a e IL-6). O efeito imunomodulador das MVs-MSCs sobre M1-Mxs observado in vivo, foi parcialmente associado ao aumento da expressão de CX3CR1 nos subtipos de macrófagos F4/80 +/Ly6C +/ CCR2 +. Em resumo, nossos resultados sugerem que MVs-MSCs podem modular o programa interno de macrófagos ativados e estabelecer um fenótipo de perfil regulatório. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.