Busca avançada
Ano de início
Entree

O desenvolvimento das funções executivas quentes e frias durante o início da adolescência e suas relações com as mudanças no cronotipo: uma comparação entre culturas (Brasil e Iran)

Processo: 17/02816-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2017 - 31 de agosto de 2019
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Fisiológica
Convênio/Acordo: Cognitive Science and Technology Council of Iran
Pesquisador responsável:Sabine Pompéia
Beneficiário:Sabine Pompéia
Pesq. responsável no exterior: Ali Nouri
Instituição no exterior: Malayer University, Irã
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Débora Cristina Hipólide ; Hugo Cogo Moreira ; Marcia Lurdes de Cacia Pradella Hallinan ; Mônica Carolina Miranda
Bolsa(s) vinculada(s):19/02155-8 - O desenvolvimento das funções executivas quentes e frias durante o início da adolescência e suas relações com as mudanças no cronotipo: uma comparação entre culturas (Brasil e Iran), BP.TT
18/18057-2 - O desenvolvimento das funções executivas quentes e frias durante o início da adolescência e suas relações com as mudanças no cronotipo: uma comparação entre culturas (Brasil e Iran), BP.TT
18/17023-7 - O desenvolvimento das funções executivas quentes e frias durante o início da adolescência e suas relações com as mudanças no cronótipo: uma comparação entre culturas (Brasil e Iran), BP.TT
Assunto(s):Fatores socioeconômicos  Adolescência 

Resumo

Funções executivas, um conjunto de processos cognitivos envolvidos na autorregulação do comportamento, maturam na adolescência, período marcado por outras mudanças fisiológicas que também afetam a cognição, como os padrões de sono. Ter desempenho executivo deficitário nesta fase de vida se traduz em vulnerabilidade e impacta o futuro dos jovens em termos de qualidade de vida e de saúde, desempenho acadêmico, comportamento antissocial, entre outros. Até que ponto a cultura e o status socioeconômico influenciam este desenvolvimento é pouco estudado e incerto. O tema do presente estudo é centrado na avaliação de uma gama de funções executivas necessárias para resolução de problemas cognitivos (funções executivas frias) e socioemocionais (funções executivas quentes) durante o início da adolescência. Tomaremos em consideração não só a idade, mas também o desenvolvimento puberal, cronotipo e padrões de sono, bem como a base sociocultural, estudando jovens do Brasil e do Irã, países com acentuada desigualdade social. Somente medidas comportamentais de domínio público e que não envolvam equipamentos complexos serão utilizadas para democratizar a reprodutibilidade dos achados. O estudo será transversal e incluirá mais de 300 participantes de 9 a 15 anos de idade provenientes de uma gama de contextos socioeconômicos. Fatores suscetíveis a intervenções para melhorar as funções executivas na adolescência serão determinados e os resultados serão divulgados à comunidade científica e ao público em geral. (AU)