Busca avançada
Ano de início
Entree

Isolamento de bactérias láticas produtoras de bacteriocinas e sua aplicação no controle de Listeria Monocytogenes em queijo frescal de leite decabra

Processo: 07/51866-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2007
Vigência (Término): 31 de agosto de 2009
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Bernadette Dora Gombossy de Melo Franco
Beneficiário:Danielle Nader Furtado
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Bactérias láticas   Leite de cabra   Listeria monocytogenes   Bacteriocinas

Resumo

Listeria spp. é uma bactéria amplamente disseminada no ambiente, sendo responsável pela contaminação do alimento cru, utilizado como matéria-prima para a fabricação de outros produtos. A contaminação de alimentos com essa bactéria representa um problema sério para saúde. Listeria monocytogenes tem sido isolada de diversos alimentos in natura e/ou processados, sendo responsável por uma série de surtos alimentares em diversos países. Com a finalidade de prevenir infecções de origem alimentar por Listeria monocytogenes, a utilização de bactérias láticas e/ou seus produtos metabólicos como bioconservantes pode-oferecer uma alternativa interessante. As bacteriocinas têm sido muito estudadas devido às suas aplicações como conservadores naturais em vários tipos de alimentos. A aplicação de bacteriocinas tende a ser mais eficiente quando as cepas produtoras são isoladas do próprio produto em que se pretende utilizá-las. Assim, o presente projeto de pesquisa objetiva verificar a capacidade de bactérias láticas, isoladas a partir de leite de cabra cru, produzir bacteriocina. As cepas bacteriocinogênicas isoladas serão submetidas a testes de identificação e será verificada a ação antagonística da bactéria lática bacteriocinogênica frente à Listeria monocytogenes em queijo de cabra tipo frescal através da co-inoculação da cultura lática e do patógeno, de forma a aumentar sua segurança em relação a este microrganismo psicotrófico. (AU)