Busca avançada
Ano de início
Entree

PAMPs (Pathogen-Associated Molecular Patterns) e DAMPs (Damage-Associated Molecular Patterns), associados ao IFN-gama, na modulação da resposta imune ao Melanoma murino B16F10

Processo: 09/50537-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de maio de 2009
Vigência (Término): 30 de abril de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia
Pesquisador responsável:Elaine Guadelupe Rodrigues
Beneficiário:Filipe Menegatti de Melo
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Padrões moleculares associados a patógenos   Flagelina   Interferon gama   Resposta imune   Melanoma animal   Fenótipo

Resumo

O Melanoma maligno é um câncer de alta agressividade e letalidade. A resposta imune do tipo Th1, dependente de IFN-gama, vem sendo associada à proteção contra o Melanoma. Entretanto, várias evidências mostram que a evolução do Melanoma induz uma polarização Th2. A produção de IFN-gama in vivo pode ser alcançada pela imunização de camundongos com o peptídeo P10, epitopo majoritário indutor de resposta imune protetora Th1, de Paracoccidioides brasiliensis. Para o desenvolvimento de uma resposta imune antitumoral eficiente, entretanto, é necessário que a imunidade inata seja adequadamente ativada. Ativadores clássicos da imunidade inata são os Padrões Moleculares Associados à Patógenos (PAMPs), ligantes de Toll-like Receptors (TLRs). Flagelina, proteína isolada de flagelos bacterianos, é um PAMP que reage com o TLR-5 e que já mostrou capacidade de modular a resposta imune contra parasitas, fungos e bactérias. Existem moléculas produzidas por mamíferos que, como os PAMPs, se ligam a TLRs e outros receptores da imunidade inata. Tais moléculas são denominadas DAMPs (Padrões Moleculares Associados a Dano Celular). Em nosso laboratório, isolamos moléculas protéicas das células B16F10-Nex2 que aparentemente se comportam como DAMPs, uma vez que elas foram capazes de ativar macrófagos peritoneais murinos a produzirem NO, IL-12 e TNF-alfa. Nossos objetivos nesse trabalho incluem avaliar a capacidade da flagelina e de um possível DAMP isolado de células de Melanoma B16F10, na presença de IFN-gama produzido endogenamente, de modular a resposta imune antitumoral, induzindo um fenótipo protetor. (AU)