Busca avançada
Ano de início
Entree

A atuação da proteína quinase dependente de dsRNA (PKR) no desenvolvimento de tumor de cólon em camundongos obesos

Processo: 10/14847-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2010
Vigência (Término): 31 de maio de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:José Barreto Campello Carvalheira
Beneficiário:Guilherme Zweig Rocha
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/57952-5 - Instituto Nacional de Obesidade e Diabetes, AP.TEM
Assunto(s):Neoplasias   Doenças nutricionais e metabólicas   Obesidade

Resumo

Embora a obesidade seja reconhecida como importante causa de diabetes e doença cardiovascular, a associação entre obesidade e diferentes tipos de câncer tem recebido muito menos atenção. A associação entre obesidade e o desenvolvimento de câncer de cólon representa um dos principais avanços conceituais na patogênese do câncer de cólon da última década. Recentemente a atuação da inflamação subclínica da obesidade na carcinogênese ganhou destaque. Mecanisticamente acredita-se que a obesidade atue como promotor tumoral, e seus efeitos pró-tumorigênicos dependam principalmente da resposta inflamatória de baixo grau ocasionada pela obesidade que envolve a produção de citocinas inflamatórias e pró-tumorigênicas (TNF e IL-6). Uma das principais características da inflamação induzida por obesidade é a infiltração de macrófagos no tecido adiposo, produzindo citocinas inflamatórias e outros mediadores que interferem na sinalização insulínica. Inflamação e estresse de retículo que são conectadas em diversos níveis, são sistemas adaptativos de curto período de expressão necessárias para a função e sobrevivência do organismo, e ambas são prejudiciais quando ativadas cronicamente. Neste sentido, a ativação da PKR durante a inflamação e o estresse de retículo e posterior ativação de JNK pela PKR, também interfere e prejudica a via de sinalização da insulina. Assim, PKR pode formar um complexo infamatório metabolicamente ativo - chamado inflamassomo ou metaflamassomo - que passa então a integrar a ação da insulina, resposta a patógenos, controle da tradução com sensibilidade a nutrientes e estresse de retículo. A formação de um metaflamossomo e a sua ativação por nutrientes e estresse de retículo pode explicar a sobreposição funcional entre múltiplas vias de sinalização, como JNK, IKK e outras na modulação do metabolismo. A relação entre o câncer de cólon e obesidade pode ser devida à ação, em nível molecular, da inflamação subclínica de baixo grau e ao estresse celular causado por essa sinalização inflamatória. Sendo a PKR responsiva à sinalização inflamatória e também à via insulínica em outros tecidos, e relacionada à carcinogênese e à progressão em diversos tipos de câncer, a investigação de sua participação é relevante à medida em que propicia o entendimento da fisiopatologia molecular de tumores de cólon. Assim, objetivo principal do estudo será avaliar o papel da PKR no desenvolvimento de tumores de cólon em camundongos submetidos à dieta hiperlipídica. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Pioneirismo em oncologia 

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
ROCHA, Guilherme Zweig. A atuação da proteína quinase dependente de dsRNA (PKR) no desenvolvimento de tumor de cólon em camundongos obesos. 2014. Tese de Doutorado - Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Ciências Médicas.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.