Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da via inibitória do sinal insulínico em tecido adiposo branco de ratos tratados cronicamente com NaF

Processo: 10/20894-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2011
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e Preventiva
Pesquisador responsável:Doris Hissako Sumida
Beneficiário:Viviane Clicie da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Diabetes mellitus   Flúor   Intoxicação por flúor   Insulina

Resumo

Nos últimos anos, tem havido uma redução acentuada nos índices de cárie dentária em diversas regiões do mundo, fato que tem sido atribuído ao uso de produtos fluoretados, como o dentifrício. Simultaneamente, nota-se a ocorrência do aumento da prevalência de fluorose dentária. Estudo realizado em 25 pacientes (15 a 30 anos de idade) com fluorose endêmica mostrou que 40% destes tinham a tolerância à glicose prejudicada, porém esta anomalia foi revertida com a remoção do excesso do flúor na água consumida. O NaF ocasiona inibição da glicólise, diminuição da secreção de insulina e hiperglicemia. Muitas destas respostas sugerem que o NaF pode ocasionar resistência à insulina. Caso isto seja confirmado, é recomendável diminuir a concentração de fluoreto nos dentifrícios utilizados principalmente por crianças diabéticas, pois a ingestão de pasta dental contendo flúor pode levar à piora na situação de saúde destas crianças. Sabendo-se que o fluoreto pode alterar o metabolismo de carboidratos, tornou-se fundamental caracterizar o efeito do NaF sobre: 1) o grau de fosforilação em serina do IRS-1, em tecido adiposo branco periepididimal; 2) glicemia e insulinemia. Para tanto, serão utilizados ratos Wistar (1 mês de idade) castrados. Após 30 dias da castração, os animais serão divididos aleatoriamente em dois grupos: 1) grupo controle (CN), o qual será submetido ao tratamento sem NaF, mas com uma solução de NaCl (9,54 mg/kg p.c.) que contém a mesma quantidade de sódio em relação à do grupo fluoreto de sódio; 2) grupo NaF (FN) que será submetido ao tratamento com NaF (4,0 mg de flúor/kg p.c.) na água de beber e na ração durante 42 dias. Após 6 semanas, será realizado em ratos CN e FN a quantificação: 1) do grau de fosforilação em serina de IRS-1, após estímulo insulínico, em tecido adiposo branco periepididimal (TAB); 2) da glicemia e da insulinemia.