Busca avançada
Ano de início
Entree

Quantificação e caracterização das células T CD4+ CD28null em pacientes com doença coronariana e indivíduos saudáveis portadores de fatores de risco para aterosclerose

Processo: 08/06088-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de julho de 2008
Vigência (Término): 31 de março de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Maria Heloisa Souza Lima Blotta
Beneficiário:Munir Regini Paião
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/50530-8 - Quantificacao e caracterizacao das celulas t cd4+ cd28null em pacientes com doenca coronariana e individuos saudaveis portadores de fatores de risco para aterosclerose., AP.R
Assunto(s):Citocinas   Inflamação   Aterosclerose

Resumo

As doenças cardiovasculares lideram o ranking de causas de morte em países desenvolvidos e logo constituirão o problema de saúde mais eminente no mundo. Entre os fatores que causaram o aumento das doenças cardiovasculares, a aterosclerose ocupa papel de destaque. Trata-se de uma doença inflamatória caracterizada por uma intensa atividade imunológica, com a formação de lesões nos vasos sanguíneos, constituídas por células, elementos do tecido conjuntivo, lipídeos e detritos celulares. A formação dessas lesões (ateromas) é iniciada pelo depósito de moléculas de lipoproteínas de baixa densidade (LDL) na íntima, local onde elas sofrem modificações como a oxidação. A LDL oxidada (oxLDL) ativa o sistema imunológico e induz uma resposta inflamatória mediada pelos linfócitos Th1, culminando na formação da placa aterosclerótica madura. As síndromes coronarianas agudas (SCA) representam graves complicações da aterosclerose caracterizadas pela erosão ou ruptura da placa, levando à trombose e infarto do miocárdio. A presença de inflamação é um dos fatores mais importantes para a vulnerabilidade das placas. Pacientes com SCA podem ser diferenciados de indivíduos saudáveis de mesma idade pela freqüência aumentada de células T CD4+ CD28null no sangue periférico. A capacidade dessas células de produzir grandes quantidades de citocinas inflamatórias e moléculas citotóxicas, além da presença das mesmas em ateromas rompidos, indica que elas podem ter um papel importante nos eventos que culminam com a desestabilização da placa e a ocorrência de SCA. A relação das células T CD4+ CD28null com outros parâmetros clínicos na aterosclerose é de especial interesse. Níveis elevados de proteína C reativa (PCR) e de citocinas inflamatórias são encontrados em aproximadamente 50 a 75% dos pacientes apresentando SCA. Nesse sentido, nosso estudo tem por finalidade avaliar o número e a porcentagem (em relação aos linfócitos T CD4+) das células T CD4+ CD28null em amostras do sangue periférico de três grupos experimentais: pacientes com síndromes coronárias agudas, pacientes com doença coronariana estabelecida crônica e indivíduos saudáveis portando fatores de risco para a aterosclerose. Indivíduos saudáveis sem fatores de risco para a aterosclerose serão utilizados como controles. Além do número e da porcentagem, nosso estudo também objetiva caracterizar as células T CD4+ CD28null do sangue periférico nos três grupos experimentais quanto a moléculas relacionadas à citotoxidade e à resposta inflamatória antes e após estimulação in vitro com antígenos comumente presentes na placa aterosclerótica. Para tanto, a técnica de citometria de fluxo será utilizada para avaliar os marcadores antes e após cultura por 48h.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: