Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação in vitro da resistência de união à tração de três tipos de pinos de fibra cimentados a raízes bovinas com diferentes cimentos resinosos

Processo: 10/13576-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2011
Vigência (Término): 30 de junho de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Maria Aparecida Alves de Cerqueira Luz
Beneficiário:Mayra Zamboni Quitero Siciliano
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Dentística

Resumo

A estabilização dos núcleos e a retenção dos pinos são fatores importantes na prevenção de fraturas nas restaurações dos dentes tratados endodonticamente (Albuquerque et al., 1996). Atualmente, uma grande variedade de sistemas de pinos pré-fabricados está disponível para a restauração de dentes tratados endodonticamente com destruição coronária, sendo exemplos os pinos de fibra de carbono e de fibra de vidro. Os pinos translúcidos apareceram recentemente no mercado com o objetivo de conduzir a luz necessária para a polimerização de cimentos resinosos duais (Giachetti et al., 2009). O objetivo deste trabalho é avaliar a importância da translucidez dos pinos na capacidade de fotoativação e polimerização do cimento resinoso através de testes de resistência de união à tração. Três tipos de pinos pré-fabricados com translucidez diferentes serão avaliados: Exacto fibra de vidro (Angelus®), translúcido, Reforpost fibra de vidro (Angelus®), branco, e Reforpost fibra de carbono (Angelus®), negro, cimentados a raízes bovinas com o cimento resinoso adesivo dual Rely X" ARC (3M ESPE) e com o cimento resinoso de ação exclusivamente química Cement Post (Angelus®). Após a cimentação, as amostras serão conservadas em estufa com água destilada a 37° C por dois tempos de espera (1 hora e 7 dias) e então serão submetidas aos ensaios de tração até a completa remoção dos pinos do interior dos condutos radiculares. (AU)