Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação de formas e processos geomorfológicos na planície do rio do peixe: o papel dos agentes naturais e antrópicos em sua evolução

Processo: 11/11208-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2011
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geografia Física
Pesquisador responsável:Paulo Cesar Rocha
Beneficiário:Eduardo Souza de Morais
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):12/00959-3 - Dinâmica fluvial em sistemas fluviais meandrantes, um estudo de caso do Rio do Peixe, Brasil, BE.EP.DR
Assunto(s):Sensoriamento remoto   Planície de inundação   Rio do Peixe

Resumo

A análise das formas e processos geomorfológicos permite compreender como a paisagem tem se organizado durante a evolução do modelado terrestre. O rio do Peixe, localizado no sudoeste paulista, percorre 380 km e possui importantes registros com a construção de formas aluviais, como: terraços fluviais e planície de inundação, que atestam sua dinâmica fluvial. O presente projeto almeja estudar as feições geomorfológicas do rio do Peixe considerando duas escalas de tempo distintas, a saber: a dinâmica Quaternária, e a Recente, e estabelecer uma discussão comparativa entre as tendências para as duas escalas de tempo avaliadas. O trecho em estudo é um trecho aluvial do rio com aproximadamente 30 km até sua foz no rio Paraná. Na escala do tempo Quaternária, os estudos serão baseados na interpretação de fácies sedimentares associadas às análises dos depósitos e feições (formas) da planície fluvial do rio, para que deste modo possa se compreender a evolução da geomorfologia fluvial e inferir sobre os processos e aspectos paleo-climáticos. Na escala histórica do estudo, denominada de Recente, será avaliada a evolução recente da morfologia e morfometria do rio e as influências dos agentes naturais, como a variabilidade hidrológica inter-década e as interferências por processos antropogênicos na bacia hidrográfica e no canal fluvial ao longo do tempo. O referido trecho de estudo compreende uma área de importante expressão de planície fluvial contida na bacia hidrográfica e promoverá informações potenciais sobre a geomorfologia fluvial do rio do Peixe. Como resultados esperados, um primeiro produto será a análise da evolução quaternária no sistema aluvial e inferência paleoclimática. Tal fato será importante para o entendimento evolutivo natural do sistema e discussão das tendências naturais. Um segundo produto do trabalho apresentará um diagnóstico das recentes modificações morfológicas no sistema fluvial e suas relações com a variabilidade hidrológica natural do rio e com as possíveis interferências decorridas pela ação antrópica no canal e na bacia hidrográfica nas últimas décadas. Por fim, pretende-se traçar um comparativo das tendências para as duas escalas de tempo avaliadas.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MORAIS, EDUARDO S.; CREMON, EDIPO H.; SANTOS, MANOEL L.; ROCHA, PAULO C. Late Pleistocene-Holocene landscape evolution in the lower Peixe river, Brazil: A meandering river valley. Journal of South American Earth Sciences, v. 102, OCT 2020. Citações Web of Science: 0.
MORAIS, EDUARDO S.; ROCHA, PAULO C.; HOOKE, JANET. Spatiotemporal variations in channel changes caused by cumulative factors in a meandering river: The lower Peixe River, Brazil. Geomorphology, v. 273, p. 348-360, NOV 15 2016. Citações Web of Science: 7.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
MORAIS, Eduardo Souza de. Formas, processos e evolução no padrão de canal meandrante em diferentes escalas geomorfológicas : o rio do Peixe, SP. 2015. 210 f. Tese de Doutorado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Ciências e Tecnologia..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.