Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressão de genes envolvidos com a estabilidade de microRNAs no desenvolvimento da medula espinhal de ratos

Processo: 11/15327-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2012
Vigência (Término): 30 de setembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Alexandre Hiroaki Kihara
Beneficiário:Vivian Roca Schwendler Weber
Instituição-sede: Centro de Matemática, Computação e Cognição (CMCC). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/55210-1 - Acoplamento celular no arco da vida: desenvolvimento, adaptação e degeneração do sistema nervoso, AP.JP
Assunto(s):Medula espinhal   Desenvolvimento   Sinapses

Resumo

A regulação precisa do proteoma é fundamental para a manuenção dos processos celulares. Nos últimos anos o descobrimento de microRNAs (miRNAs) revelou um novo mecanismo de controle da tradução de proteínas. Os miRNAs são moléculas pequenas (de 18 a 25 nucleotídeos) e de fita simples na sua forma madura. Os miRNAs atuam impedindo que o RNAm seja traduzido, ora promovendo sua degradação, ora bloqueando a tradução. O interesse por miRNAs é crescente em diversos processos fundamentais, como por exemplo o desenvolvimento. Estudos recentes demonstraram que miRNAs são altamente expressos no sistema nervoso central (SNC), incluindo o encéfalo e a medula espinhal, e atuam na diferenciação de células específicas durante o desenvolvimento. Porém, pouco se sabe sobre os componentes que regulam a estabilidade de miRNAs individuais.A atuação de miRNAs sobre genes-alvo segue um regime probabilístico, e não determinístico. Por este motivo, a concentração intracelular de um determinado miRNAé fator determinante na especificidade deste sobre os possíveis genes que regula.Os níveis de miRNAs dependem do balanço dos processos de biossíntese e degradação. Embora os processos relacionados com a gênese de miRNAs estejam sendo estudados, pouca atenção tem sido dada aos processos de estabilidade e degradação de miRNAs. A medula espinhal é uma estrutura do SNC conhecida por ser um sistema complexo de neurônios que recebe e envia informações autonômicas, sensitivas e motoras e, portanto bastante utilizada em estudos morfogenéticos. De fato, a medula espinhal tem sido utilizada como modelo para o estudo de diversos aspectos fisiológicos destes sistemas, incluindo o desenvolvimento. Este Projeto tem como objetivo avaliar o comportamento de genes envolvidos com a degradação (XRN2) e estabilidade (PAPD4) de miRNAs durante o desenvolvimento na medula espinhal de ratos. Para isso, utilizaremos técnicas combinadas, tais como PCR em tempo real, western blot e imuno-histoquímica.Este projeto de mestrado está vinculado ao Projeto Jovem Pesquisador "Acoplamento Celular no Arco da Vida: Desenvolvimento, Adaptação e Degeneração do Sistema Nervoso", processo 2008/55210-1.