Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento e validação de método para padronização de extratos de folha de Morus sp. e avaliação da atividade biológica de formulações fitoterápicas para o tratamento do climatério

Processo: 11/24137-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2012
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Moacir Rossi Forim
Beneficiário:Patrícia Luísa de Souza Bergo
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Fitoquímica   Química de produtos naturais   Climatério   Morus

Resumo

O climatério feminino é o período de transição da vida reprodutiva da mulher para a não-reprodutiva e tem seu ápice na menopausa. Durante esse período ocorre uma redução no nível de estrogênio livre circulando na corrente sanguínea e simultaneamente um aumento na quantidade de hormônios folículo-estimulante (FSH) e lúteo-estimulante (LH) na pituitária. Em muitas mulheres, a redução da secreção de estrogênio pode levar a alterações fisiológicas de natureza vasomotora (ondas de calor e sudorese excessiva), mudanças atróficas no trato genitourinário, osteoporose, enxaquecas, insônia, fadiga e irritabilidade. Para minimizar esses efeitos, muitas mulheres se submetem às terapias de reposição hormonal (HRT). A mais comumente utilizada é baseada na associação estrogênio e progestina, porém o uso combinado desses hormônios pode potencializar o risco de câncer de mama. Por isso, a busca por tratamentos alternativos, sobretudo aqueles baseados em medicamentos fitoterápicos, tem sido cada vez mais crescente. As folhas de amora já vêm sendo utilizadas há bastante tempo na medicina popular para tratamento das ondas de calor típicas do período do climatério e tem sido alvo de pesquisas científicas relacionadas a outros sintomas do climatério. Além disso, extratos de Morus spp tem se mostrado especialmente interessantes em estudos antitumorais. A maioria das formulações fitoterápicas comercialmente disponíveis é composta por misturas de princípios ativos e elas não trazem informações detalhadas sobre a composição. Embora sejam de fácil acesso à população em geral e eficientes para o tratamento de alguns sintomas da menopausa, ainda não existe um controle rigoroso por parte das autoridades competentes. Efeitos colaterais bastante indesejáveis podem aparecer, uma vez que não existe uma padronização no preparo desses medicamentos. Nesse sentido, esse projeto propõe desenvolver um método para a padronização dos extratos de folhas de Morus spp, desde o desenvolvimento de técnicas de extração, quantificação dos compostos bioativos presentes na formulação até a avaliação da atividade biológica esperada. Outra proposta complementar deste é avaliar a atividade do extrato padronizado tanto em formulações fitoterápicas para HRT quanto em ensaios in vitro para atividade antitumoral. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GOMES, FRANCISCO E. R.; BERGO, PATRICIA L. S.; TRAP, MARILIA A.; SPADOTO, MARIANGELA; GALINARO, CARLOS A.; RODRIGUES-FILHO, EDSON; LEITAO, ANDREI; TREMILIOSI-FILHO, GERMANO. Photolysis of parabens using medium-pressure mercury lamps: Toxicity effects in MCF7, Balb/c 3T3 cells and Ceriodaphnia dubia. Chemosphere, v. 208, p. 325-334, OCT 2018. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.