Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização da expressão dos genes MyoD, Pax7 e Dapper1 durante a regeneração do músculo esquelético de camundongo após injeção de veneno botrópico

Processo: 12/00192-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2012
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Maria Alice da Cruz Hofling
Beneficiário:Bruno Kenzo Kagawa
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Sistema musculoesquelético   Células satélites de músculo esquelético   Toxicologia

Resumo

Acidentes causados por serpentes do gênero Bothrops em geral acometem os membros inferiores das vítimas e afetam os tecidos moles, cutâneo e muscular. O veneno botrópico apresenta efeitos miotóxico, hemorrágico e proteolítico que são amplamente conhecidos. Dados experimentais mostram que as alterações locais no músculo são rápidas, devido à ação direta de miotoxinas e indiretamente pela anóxia do tecido, devido à falência da microcirculação causada por toxinas hemorrágicas, ambas presentes no veneno. Como resultado ocorre uma fase catabólica de grandes proporções com degeneração do tecido muscular que é acompanhada por edema local e intensa resposta inflamatória, onde citocinas pró-inflamatórias, como TNF-±, IFN-³ e IL-1² são liberadas por infiltrados neutrofílicos e de macrófagos. Na etapa seguinte, e em função da dimensão da lesão, mas em geral observada após 72 horas, é iniciada a regeneração do músculo, que pode ser completa ou parcial. O processo regenerativo inclui a ativação de células satélites indiferenciadas que estão quiescentes entre a membrana basal e o sarcolema da fibra muscular. Dentre as moléculas envolvidas na atividade das células satélites está o fator transcricional paired-box Pax7. Em adição, um grupo de fatores transcricionais chamados fatores reguladores miogênicos, dentre os quais incluem-se MyoD, miogenina, Myf-5 e MRF-4, são responsáveis pelo controle da miogênese embrionária e regenerativa. Finalmente, suspeita-se que o gene que codifica a proteína adaptadora Dapper1 (Dpr1) seja expresso durante a regeneração do músculo esquelético, uma vez que o mesmo é intensamente expresso nos somitos, em células precursoras musculares. Neste contexto, a proposta deste trabalho é caracterizar a expressão dos genes MyoD, Pax7 e Dpr1 no músculo esquelético de camundongo após intoxicação por veneno da serpente Bothrops jararacussu (jararacuçu). A caracterização da expressão de genes que regulam a miogênese pós-desenvolvimental (miogênese reparativa) é estratégia interessante para ampliar os conhecimentos sobre os mecanismos envolvidos no processo reparativo após injúria, por exemplo causada por acidente botrópico. Este estudo poderá permitir comparação com mecanismos que atuam durante a miogênese embrionária; e auxiliar no desenvolvimento de terapêuticas intervencionais após dano ao tecido. Este tipo de abordagem é inédita e tem relevância em saúde pública. (AU)