Busca avançada
Ano de início
Entree

A influência da participação de filhos e netos de trabalhadores expostos a ruído em um programa de conservação auditiva

Processo: 12/04582-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 28 de julho de 2012
Vigência (Término): 27 de setembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Pesquisador responsável:Maria Cecília Marconi Pinheiro Lima
Beneficiário:Keila Alessandra Baraldi Knobel
Supervisor no Exterior: Deanna K. Meinke
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Northern Colorado (UNC), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:09/15825-0 - Perda auditiva induzida por níveis de pressão sonora elevada em crianças: percepção de risco em escolares, BP.PD
Assunto(s):Audiologia   Perda auditiva induzida por ruído   Ruído ocupacional   Prevenção primária   Relações pais-criança

Resumo

Cerca de 16% das perdas auditivas em adultos são atribuídas à exposição a ruído ocupacional. A exposição a sons intensos, seja no trabalho ou no lazer, é a principal causa de perda auditiva passível de prevenção em adultos. Tanto nos E.U.A. quanto no Brasil exige-se a implantação de medidas de caráter coletivo que os trabalhadores expostos a sons intensos (e 85 dBA) participem de programa de conservação auditiva. Entretanto, diversas atividades de lazer também são ruidosas e podem representar um risco à saúde auditiva, como por exemplo ouvir música alta, fica próximo a fogos de artifício, praticar carpintaria ou marcenaria no lazer, dirigir veículos recreacionais, usar cortadores de grama movidos a gasolina, tocar instrumentos musicais... E a maioria de atividades recreacionais ruidosas das quais os adultos participam, crianças e adolescentes também podem participar. Estudos prévios sobre outras condições de saúde mostram que os pais têm forte influência na saúde de seus filhos, mas pouco se sabe em termos da influência que as crianças podem ter sobre os conhecimentos, atitudes e comportamentos dos adultos da família. Se nós envolvermos filhos ou netos de trabalhadores expostos a ruído ocupacional no treinamento de segurança (que faz parte do programa de conservação auditiva), nós supomos que que as crianças mudariam seu comportamento em relação à exposição a sons intensos e que elas poderia ter influência positiva sobre os trabalhadores. Além disso, os pais ou avós poderiam se sentir incentivados a adotar comportamentos de proteção auditiva quando envolvidos com as crianças em atividades ruidosas no lazer. Métodos: 1. Seleção de 120 trabalhadores expostos a ruído ocupacional. Todos receberão um termo de consentimento livre-esclarecido. Serão divididos em 3 grupos: G1, G2 e G3. 2. G1 participará com seus filhos ou netos (7-15 anos) de sessão educativa interativa baseada na aula proposta pelo programa americano de conservação auditiva Dangerous Decibels®. G2 participará da mesma sessão educativa interativa, mas sem a participação de filhos. G3 será o grupo-controle. 3. Uso de questionário para trabalhadores e para crianças, a serem respondidos antes e imediatamente após sessão interativa e 1 e 6 meses após a mesma. 4. Para determinar os efeitos imediatos e de longo termos da intervenção educacional, faremos comparação dos grupos usando o teste T (paramétrico) e o teste Wilcoxon para pares (não paramétrico). Observações: O contato com a indústria para autorização da pesquisa e a submissão do trabalho ao Comitê de Ética em Pesquisa será feita pela responsável pela pesquisa, a Profa. Dra. Deanna Meinke (University of Northern Colorado). A coleta do questionário de acompanhamento de seis meses após a sessão interativa deverá acontecer em fevereiro de 2013, data será próxima à principal convenção de conservação auditiva dos E.U.A. (NHCA Convention). Caso a bolsista tenha trabalhos aprovados para apresentação na convenção e possa comparecer, talvez seja possível que participe ativamente da coleta dos questionários na indústria. Caso contrário, a pesquisadora responsável local e seu grupo se comprometem em concluir a coleta de dados, para que os mesmos sejam analisados (AU)