Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da leptina na atividade quimiossensível do núcleo retrotrapezóide (RTN)

Processo: 12/04813-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 12 de julho de 2012
Vigência (Término): 11 de outubro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:Eduardo Colombari
Beneficiário:Mirian Bassi Solcia
Supervisor no Exterior: Daniel Kent Mulkey
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Connecticut (UCONN), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:09/53205-3 - Papel da leptina no controle ventilatório, BP.PD
Assunto(s):Leptina   Obesidade

Resumo

A deficiência de leptina é um dos principais fatores para o desenvolvimento da obesidade e distúrbios respiratórios. Camundongos transgênicos deficientes em leptina (ob/ob) são obesos e tem uma menor resposta ventilatória quando estimulados com CO2 no ar inspirado (hipercapnia). O desafio é compreender se os problemas respiratório presentes na deficiência de leptina (e.g. ob/ob mice) ocorrem devido a ausência da ação da leptina no SNC ou por causa da obesidade mórbida que se desenvolve secundariamente a hiperfagia e ao reduzido gasto energético. Resultados dos nossos estudos sugerem que a deficiência central de leptina, mais do que a obesidade é a principal causa dos distúrbios respiratórios quimiossensíveis. Em adição, nós demonstramos que a reposição ICV de leptina em camundongos ob/ob foi capaz de aumentar a resposta ventilatória ao CO2 independente do peso corporal. Além disso, dados preliminares apresentados neste projeto sugerem que a leptina tem um importante papel estimulador na resposta quimiossensível via ação na região ventral do bulbo (núcleos RVLM e RTN). Contudo, o mecanismo celular e molecular envolvido na ação da leptina sobre o controle respiratório não são conhecidos. Nós hipotetizamos que a leptina tem uma ação excitatória nos neurônios sensíveis ao CO2/H+ no RTN. Com isso, o objetivo desse estudo é caracterizar o efeito da leptina em neurônios do RTN de camundongos selvagens e deficientes em leptina (ob/ob). Dessa forma, será analisado o efeito agudo da leptina na atividade dos neurônios quimiossensíveis do RTN pela técnica de eletrofisiologia que é realizada com rotina no laboratório do Dr. Mulkey (colaborador). Também será avaliada a participação das células gliais (astrócitos) na ativação da resposta quimiossensível pela leptina. Após o registro da atividade celular será investigada a presença de receptores de leptina nas células neuronais e nos astrócitos do RTN pelo método de imunohistoquímica. Caso a leptina não tenha efeito agudo na atividade dos neurônios quimiossensíveis do RTN, será realizado um protocolo alternativo de tratamento com leptina por 3 dias em animais com implante de cânula guia no RTN. Nesse protocolo será mensurada a resposta ventilatória ao CO2 pelo método de pletismografia (como nos dados preliminares) seguido da análise da atividade neuronal pela eletrofisiologia do RTN. (AU)