Busca avançada
Ano de início
Entree

As formas de representação em arquitetura: os arquitetos da família Bratke

Processo: 12/24608-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2013
Vigência (Término): 31 de março de 2014
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Projeto de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Simone Helena Tanoue Vizioli
Beneficiário:Jéssica Ragonha
Instituição-sede: Instituto de Arquitetura e Urbanismo de São Carlos (IAU). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Desenho arquitetônico   Prática profissional   Arquitetura moderna

Resumo

Essa pesquisa está vinculada ao Acordo de Cooperação Internacional USP/UP, entre o Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU.USP) e a Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), cujo projeto intitula-se "Arquitetura, Desenho e Representação: metodologias de desenho no ensino de Projeto". Entre os objetivos do projeto está o estudo de produções de arquitetos brasileiros e portugueses cujos processos de trabalho reflitam particulares qualidades na relação do Desenho com a Arquitetura e a prática profissional. A presente pesquisa é também um aprofundamento do projeto de iniciação científica desenvolvido pela pesquisadora de agosto de 2011 a julho de 2012, financiado pelo CNPq. Sob o título "O uso da maquete física como ferramenta de leitura do patrimônio cultural", a pesquisa tinha como objeto de estudo o Edifício E1, de autoria de Ernest Mange e Hélio Duarte, relacionados à arquitetura paulista. Outra ligação entre as duas pesquisas diz respeito aos meios de representação. O profissional arquiteto tem à sua disposição diversos meios de representar o projeto, a ideia: desenho, maquete física, maquete digital, elementos estes que podem ou não se misturar e, assim, compor um método projetivo específico de cada um. Na primeira pesquisa, dava-se ênfase à maquete física como meio de representação que aproximava a população ao edifício, considerado patrimônio histórico e cultural da cidade de São Carlos - SP. A pesquisa busca estudar os métodos projetuais e os meios de representação como contribuição para a discussão do papel do desenho (linguagem e representação) no projeto arquitetônico e na formação do arquiteto nos dias atuais. Para tanto, pretende-se analisar as formas de representação de três gerações da família de arquitetos Bratke: Oswaldo Arthur, Carlos e Bárbara, buscando compreender as permanências e alterações do método projetivo de uma geração para outra. Pretende-se coletar e organizar o material gráfico de Oswaldo Arthur Bratke, que atualmente encontra-se no acervo da biblioteca da FAU.USP. Objetiva-se também entrar em contato com Carlos e Bárbara Bratke, analisando os meios de representação utilizados por cada um. Ainda não foi feito um recorte em relação à seleção de obras; entretanto, almeja-se escolher algumas obras significativas dos arquitetos de modo a facilitar as devidas comparações. Será adotado como método de pesquisa o histórico comparativo, visto que se trata de três objetos de estudo, que fizeram parte da história da arquitetura brasileira, desde a década de 1930. (AU)