Busca avançada
Ano de início
Entree

Impacto do risco neonatal e do temperamento no comportamento de crianças nascidas pré-termo na fase pré-escolar

Processo: 13/12509-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2013
Vigência (Término): 30 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Tratamento e Prevenção Psicológica
Pesquisador responsável:Maria Beatriz Martins Linhares
Beneficiário:Rafaela Guilherme Monte Cassiano
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):16/11533-8 - Prematuridade e problemas de comportamento em duas amostras de crianças de diferentes culturas, BE.EP.DR
Assunto(s):Nascimento prematuro   Psicologia da criança   Temperamento

Resumo

Crianças que nasceram pré-termo e com muito baixo peso são mais susceptíveis a apresentarem problemas de comportamento e baixa regulação no temperamento em comparação às crianças que nasceram a termo. Torna-se importante avançar na compreensão sobre o impacto longitudinal dos riscos neonatais sofridos pelas crianças pré-termo, associados ao temperamento infantil, no seu comportamento, considerando amostra de alto risco biológico e social. O presente estudo tem por objetivo examinar o efeito preditor das características neonatais e sociodemográficas e do temperamento e comportamento, avaliados na fase de 18-36 meses de idade, no desfecho do comportamento das crianças nascidas pré-termo na idade pré-escolar. O estudo de delineamento longitudinal inclui três fases: neonatal, 18 aos 36 meses de idade e período pré-escolar (4-5 anos). A amostra do estudo será composta por 100 crianças nascidas pré-termo (< 37 semanas de idade gestacional) e com muito baixo peso ao nascimento (< 1.500 gramas). Os dados serão coletados em um hospital universitário público vinculado ao SUS. Serão aplicados os seguintes instrumentos: o Early Childhood Behavior Questionnaire (avaliação do temperamento), o Child Behavior Checklist 1 ½-5 (avaliação do comportamento), o Índice de Risco Clínico para Bebês (CRIB) e o Neonatal Infant Stressor Scale (indicador de estresse neonatal). Além disso, serão coletadas informações sobre a condição de saúde no prontuário médico e condições socioeconômicas das famílias. Os dados serão analisados por meio da análise de estatística descritiva e análise de predição (análise de regressão linear múltipla). A variável predita do presente estudo consistirá nos problemas de comportamento avaliados na fase pré-escolar. Nas variáveis preditoras serão incluídas: variáveis neonatais (peso ao nascimento, idade gestacional, índice risco clínico neonatal, índice de estresse neonatal e tempo de internação hospitalar), variáveis sociodemográficas (escolaridade materna, escolaridade do chefe da família e condições socioeconômicas) e variáveis do temperamento e comportamento, avaliados na fase de 18-36 meses de idade. Os dados serão processados por meio do SPSS, versão 19.0, (Chicago, IL, EUA) e o nível de significância adotado será p d 0,05. Os resultados serão organizados e discutidos à luz da literatura pertinente e atual da área.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Tempo na UTI neonatal pode ter impacto no comportamento de bebês prematuros