Busca avançada
Ano de início
Entree

Reconstrução da dinâmica da vegetação de Mata Atlântica desde o Pleistoceno tardio nas regiões sudeste (costa norte do Estado do Espírito Santo e leste de Minas Gerais) e nordeste (Sul da Bahia) do Brasil

Processo: 13/15768-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2013
Vigência (Término): 30 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Luiz Carlos Ruiz Pessenda
Beneficiário:Mariah Izar Francisquini Correia
Instituição-sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/00995-7 - Estudos paleoambientais interdisciplinares na costa do Espírito Santo, AP.PFPMCG.TEM
Assunto(s):Quaternário   Palinologia   Diatomáceas   Isótopos estáveis

Resumo

Esta proposta de projeto de doutorado se encontra associada ao projeto temático FAPESP 2011/00995-7, "Estudos paleoambientais interdisciplinares na costa do Espírito Santo", e ao Programa Fapesp de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas Globais (PFPMCG-FAPESP). Os principais objetivos são: caracterizar a conexão da Mata Atlântica com a Floresta Amazônica desde o Pleistoceno tardio e possíveis rotas de interação (litorânea, continental ou ambas); identificar padrões que caracterizem a região da costa norte do Espírito Santo como refúgio florestal no mesmo período; verificar a influência das variações do nível relativo do mar (NRM) na dinâmica da vegetação local. Para tanto, propõe-se a coleta de, pelo menos, três testemunhos, sendo um no Espírito Santo e os demais em direção a região costeira do sul da Bahia e leste de Minas Gerais. Análises isotópicas de carbono e nitrogênio e bioindicadores (pólen, diatomáceas, espículas de esponjas e fitólitos) em sedimentos, solos, turfeiras, etc, cronologicamente determinados por datação 14C, contribuirão para a reconstrução paleoambiental da dinâmica e interação entre sistemas aquáticos e terrestres nos locais de estudo. Análises palinológicas e de fitólitos serão capazes de revelar a influência de espécimes amazônicos nestas regiões, confirmando ou refutando a presença da floresta no passado. A associação dos dados obtidos com os trabalhos já realizados e em desenvolvimento, e comparados com outras regiões brasileiras, permitirão a ampliação das bases de dados dos modelos climáticos, além de possibilitar a compreensão do ambiente presente e auxiliar nas previsões futuras.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.