Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da flutuação do Ca2+ intracelular e de marcadores inflamatórios em astrócitos co-cultivados com células endoteliais cerebrais, após exposição ao veneno da aranha Phoneutria nigriventer

Processo: 12/19245-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2014
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Maria Alice da Cruz Hofling
Beneficiário:Catarina Raposo Dias Carneiro
Supervisor no Exterior: Elisabeth Hansson
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa: University of Gothenburg, Suécia  
Vinculado à bolsa:11/08005-6 - Estudo do mecanismo de ação do veneno da aranha Phoneutria nigriventer na barreira hematoencefálica e no tecido neural e análise da ação de duas toxinas purificadas como veículo no tratamento de glioma, BP.PD

Resumo

A barreira hematoencefálica (BHE), constituída pelos microvasos sangüíneos cerebrais, é especializada em promover o acesso controlado de substâncias ao sistema nervoso central (SNC). Entre os constituintes celulares da BHE, os astrócitos têm sido especialmente estudados, pois essas células gliais tem papel chave na indução e manutenção do fenótipo de barreira no endotélio cerebral. Os astrócitos são influenciados por sinalização desse mesmo endotélio e respondem a alterações no microambiente neural através de mecanismos que envolvem a sinalização mediada pelo Ca2+, regulando processos inflamatórios, ativação neuronal e dor. Doadores de óxido nítrico (NO) aumentam as concentrações de Ca2+ intracelular em astrócitos e células endoteliais através da ativação da guanilato ciclase solúvel e consequente produção de GMPc (via NO-GMPc). O veneno bruto da aranha Phoneutria nigriventer (PNV) ou seus componentes isolados têm mostrado ser importantes moduladores de canais iônicos e da liberação de neurotransmissores, mediadores inflamatórios, moduladores da permeabilidade da BHE, indutores da dor e ativadores de vias neuronais específicas. Astrócitos cultivados, quando submetidos ao PNV, reagiram com a produção de mediadores da inflamação (citocinas e NO). Portanto, é possível que os astrócitos sejam moduladores dos efeitos do PNV, através de um mecanismo dependente de GMPc e de flutuações de Ca2+ intracelular. Interessantemente, tem sido demonstrado que opióides, especialmente agonistas m-opióides, exercem papel no controle da atividade neuroinflamatória em astrócitos. É possível que agonistas opióides equilibrem os mecanismos envolvidos na neuroinflamação e na dor induzidas pelo PNV, através da modulação das oscilações do Ca2+ intracelular. No presente estudo, para simular a situação observada in vivo com os constituintes da BHE, astrócitos serão co-cultivados com células endoteliais. O efeito do PNV será investigado nas células em co-cultura com ou sem moduladores da via NO-GMPc, no que tange à mobilização do Ca2+ intracelular, à dosagem de citocinas inflamatórias, às fibras de stress e expressão de conexina-43, principal proteína das junções comunicantes dos astrócitos. Além disso, a capacidade de diferentes agonistas sintéticos de receptores opióides em devolver o equilíbrio fisiológico às células, frente às alterações induzidas pelo veneno também será investigada. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
RAPOSO, CATARINA; BJORKLUND, ULRIKA; KALAPOTHAKIS, EVANGUEDES; BIBER, BJORN; DA CRUZ-HOFLING, MARIA ALICE; HANSSON, ELISABETH. Neuropharmacological effects of Phoneutria nigriventer venom on astrocytes. NEUROCHEMISTRY INTERNATIONAL, v. 96, p. 13-23, JUN 2016. Citações Web of Science: 4.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.