Busca avançada
Ano de início
Entree

Variações no conteúdo e na composição de carboidratos solúveis e de compostos fenólicos em espécies arbóreas de Floresta Estacional Semidecidual em reposta a poluentes aéreos

Processo: 14/03098-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2014
Vigência (Término): 30 de abril de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia
Pesquisador responsável:Marisa Domingos
Beneficiário:Marcela Regina Gonçalves da Silva Engela
Instituição-sede: Instituto de Botânica. Secretaria do Meio Ambiente (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Compostos fenólicos   Poluentes atmosféricos

Resumo

Nas últimas décadas, uma grande quantidade de poluentes tem sido emitida para a atmosfera da Região Metropolitana de Campinas (RMC), devido às atividades antrópicas relacionadas aos diferentes usos da terra. Entre os principais poluentes aéreos encontrados na RMC estão os óxidos de nitrogênio, óxidos de enxofre, materiais particulados contendo elementos e compostos tóxicos e o ozônio. Uma vez absorvidos pelas plantas, tais poluentes podem formar espécies reativas de oxigênio (ERO), com alto poder oxidativo, que danificam estruturas celulares e causam distúrbios fisiológicos e bioquímicos. Em grande escala, tais distúrbios podem afetar a produtividade e a estrutura de comunidades florestais, como a da Floresta Estacional Semidecidual, que é abrangida pelo domínio da Mata Atlântica em São Paulo. Por outro lado, determinados compostos fenólicos e alguns carboidratos podem auxiliar na defesa das plantas contra a ação das ERO. Sendo assim, a caracterização de alterações qualitativas e quantitativas nessas substâncias pode contribuir para a determinação do potencial de tolerância de espécies vegetais ao estresse oxidativo. Assim, o objetivo geral do presente estudo é avaliar se ocorrem mudanças qualitativas e quantitativas nos carboidratos solúveis e nos compostos fenólicos de espécies arbóreas nativas de Floresta Estacional Semidecidual, quando expostas às variações nas concentrações de poluentes aéreos da Região Metropolitana de Campinas, associadas às oscilações naturais em fatores climáticos, visando a contribuir para o estabelecimento do nível de tolerância destas aos estresses ambientais na região de estudo. Para isso, amostras foliares de três espécies arbóreas serão coletadas na borda de fragmentos florestais localizados em diferentes direções e distâncias do polo industrial de Paulínia, que está inserido na RMC. As coletas serão realizadas em dias consecutivos, em diferentes horários, nas estações seca e chuvosa, para a análise de carboidratos e compostos fenólicos. Além disso, por meio de experimentos complementares, será estabelecido o andamento diário nas respostas fisiológicas mencionadas e ainda nas trocas gasosas, objetivando verificar até que ponto as mudanças na composição e quantidade de carboidrados estariam associadas à fotossíntese. Ainda, os níveis de poluentes aéreos serão mensurados durante o período de coleta, assim como serão tomados alguns dados meteorológicos. Análises estatísticas multivariadas permitirão inferir sobre as associações entre as variações nas respostas biológicas e nas condições ambientais.