Busca avançada
Ano de início
Entree

Explorando o mecanismo para as mudanças na concentração do hormônio paratireóideo (PTH) durante e após o exercício aeróbio

Processo: 14/12305-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2014
Vigência (Término): 30 de novembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia do Esforço
Pesquisador responsável:Bruno Gualano
Beneficiário:Ana Jéssica Pinto
Supervisor no Exterior: Craig Sale
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Nottingham Trent University, Inglaterra  
Vinculado à bolsa:13/13126-2 - Avaliação do nível de atividade física em pacientes com dermatomiosite juvenil e lúpus eritematoso sistêmico juvenil, BP.IC
Assunto(s):Hormônios paratireóideos   Resistência física   Treinamento aeróbio

Resumo

Diversos estudos têm mostrado que as concentrações do hormônio paratireóideo (PTH) no sangue humano aumentam durante o exercício aeróbio, como corrida e ciclismo, mas isto ocorre somente quando a intensidade do exercício é elevada. Vários desses estudos também têm demonstrado que as concentrações de PTH são reduzidas após o exercício, mas o mecanismo que causa essas mudanças ainda é desconhecido. Em seres humanos em repouso, um decréscimo na concentração plasmática de cálcio (Ca) pode aumentar a concentração de PTH. Durante o exercício as concentrações de Ca aumentam, mas, após o exercício, a mudança nestas concentrações parecem ir na direção oposta e possuir uma magnitude oposta às mudanças de PTH. Aumentos em fosfato (PO4) também podem aumentar as concentrações de PTH, e durante o exercício a concentração plasmática de PO4 é aumentada, embora não se saiba se este aumento ocorre antes ou após as mudanças nas concentrações de PTH. Logo após o exercício, a diminuição em PO4 parece ocorrer ao mesmo tempo em que a de PTH, o que sugere que o PO4 pode estar envolvido, novamente, na regulação de PTH com o exercício. Scott et al. (In press) mostrou que, em comparação com um controle em repouso, as concentrações de PTH estavam reduzidas após uma corrida aguda, sugerindo um verdadeiro efeito do exercício sobre as concentrações de PTH pós-exercício. As baixas concentrações de PTH não foram totalmente explicadas pelo aumento do cálcio ajustado pela albumina (ACa), mas pode estar relacionada com a diminuição das concentrações de PO4, ou com uma combinação de ambos (Scott et al. In press).A falta de informações sobre o tempo em que as mudanças das concentrações de PTH, Ca e PO4 ocorrem, atualmente, limita a nossa compreensão deste mecanismo, de modo que medições regulares durante o exercício e recuperação fazem-se necessárias para ajudar a responder a esta questão. (AU)