Busca avançada
Ano de início
Entree

Detecção das oxacilinases associadas à resistência antimicrobiana aos carbapenêmicos em isolados clínicos de a. baumannii do Estado de São Paulo

Processo: 14/11380-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2014
Vigência (Término): 31 de agosto de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Pesquisador responsável:Carlos Henrique Camargo
Beneficiário:Marta Regina Saes
Instituição-sede: Instituto Adolfo Lutz (IAL). Coordenadoria de Controle de Doenças (CCD). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Bacteriologia   Resistência microbiana a medicamentos   Anti-infecciosos   Acinetobacter   Reação em cadeia por polimerase (PCR)

Resumo

As infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS) constituem um importante problema de saúde pública com impacto nas taxas de morbidade, mortalidade e custos associados aos cuidados ao paciente. Uma das espécies principais espécies causadoras de IRAS é A. baumannii (ACB), um cocobacilo Gram-negativo não fermentador. Este patógeno apresenta extraordinária resiliência e diversificados mecanismos de resistência aos antimicrobianos, que os favorecem para persistência no ambiente hospitalar. Registra-se na literatura nacional e mundial um aumento expressivo nas taxas de Acinetobacter com resistência aos antimicrobianos, inclusive aos antimicrobianos carbapênemicos, uma das últimas classes antimicrobianas com atividade satisfatória para combate às infecções por este agente. Tal resistência é mediada principalmente por enzimas da classe D de Ambler, denominadas de oxacilinases, que, atualmente, apresentam-se com mais de 150 variantes, sendo as mais prevalentes as pertencentes aos grupos OXA-23, OXA-51, OXA-24/40, OXA-58 e OXA-143. Atualmente, nenhum teste fenotípico é capaz de detectar e discriminar a presença de oxacilinases em A. baumannii, o que demanda o uso de técnicas moleculares, como a reação da polimerase em cadeia (PCR). Esta técnica apresenta altas sensibilidade e especificidade e, por isso, é amplamente utilizada. Discriminar o tipo de oxacilinase responsável pelo fenótipo de resistência é uma ferramenta útil que pode contribuir ao entendimento da epidemiologia das cepas de A. baumannii circulantes. Assim, o objetivo deste projeto é avaliar a presença dos genes codificadores das oxacilinases dos grupos OXA-23, OXA-51, OXA-24/40, OXA-58 e OXA-143 em isolados clínicos de A. baumannii provenientes de diferentes instituições do estado de São Paulo.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CAMARGO, CARLOS HENRIQUE; TIBA, MONIQUE RIBEIRO; SAES, MARTA REGINA; DE VASCONCELLOS, FRANCIELLI MAHNIC; DOS SANTOS, LUIS FERNANDO; ROMERO, ELIETE CALO; GARCIA, DOROTI DE OLIVEIRA. Population Structure Analysis of Carbapenem-Resistant Acinetobacter baumannii Clinical Isolates from Brazil Reveals Predominance of Clonal Complexes 1, 15, and 79. Antimicrobial Agents and Chemotherapy, v. 60, n. 4, p. 2545-2547, APR 2016. Citações Web of Science: 15.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.