Busca avançada
Ano de início
Entree

Working poor japonês: trabalho imigrante dekassegui e suas transversalidades

Processo: 14/14531-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2014
Vigência (Término): 01 de março de 2019
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Ricardo Luiz Coltro Antunes
Beneficiário:Mariana Shinohara Roncato
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):16/13499-1 - Dekassegui, trabalho imigrante e suas transversalidades, BE.EP.DR
Assunto(s):Sociologia do trabalho   Classe social   Imigração brasileira   Trabalhador migrante   Imigrantes   Japão

Resumo

Este projeto de pesquisa visa analisar o trabalho imigrante de brasileiros no Japão, conhecidos como dekasseguis e suas transversalidades, isto é: como é a dinâmica da inter-relação entre classe social, etnia e gênero no contexto japonês. A trabalhadora e o trabalhador imigrante dekassegui, figura emblemática da mundialização, tem como particularidade a inserção em território estrangeiro na figura de ser o "outro" inserido na sociedade de classes. Entretanto, para além desta inserção na estrutura de classes, a condição imigrante é clivada por diferenciações sociais de etnia e gênero, caracterizando-o como fenômeno paradigmático para o estudo da intersecção de tais relações sociais. Por se tratar de categorias que excedem o mundo do trabalho stricto sensu, o estudo dessas inter-relações comporta a análise das experiências discriminatórias vivenciadas pelos sujeitos a serem entrevistados. Como análise das condições materiais de vida, pesquisaremos a remuneração, processos/condições/contratos de trabalho e direitos civis diferenciados para o imigrante. Como possíveis experiências discriminatórias, nos referimos a xenofobia, racismo, sexismo. Optamos como recorte os trabalhadores imigrantes brasileiros inseridos na indústria automobilística e do setor eletroeletrônico japonês. Como uma das hipóteses, acreditamos que a inter-relação entre estas diferenciações sociais tende a potencializar processos de exploração/dominação. Através deste estudo, visamos contribuir com os estudos da problemática da articulação entre classe, etnia e gênero para a Sociologia do Trabalho. (AU)