Busca avançada
Ano de início
Entree

Sistema VEL: triagem molecular utilizando DNA obtido de pools de plasma de doadores de sangue

Processo: 15/09540-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2015
Vigência (Término): 20 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Medicina Preventiva
Pesquisador responsável:José Eduardo Levi
Beneficiário:Marcia Regina Dezan
Instituição-sede: Hemocentro de São Paulo. Fundação Pró-Sangue. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Técnicas de genotipagem   Reação em cadeia da polimerase em tempo real   Biologia molecular

Resumo

Pacientes em regime crônico de transfusão, tem uma elevada taxa de aloimunização eritrocitária, que está associada a reações hemolíticas tranfusionais. Quando há formação de múltiplos aloanticorpos ou de aloanticorpos contra antígenos de alta frequência populacional, somente doadores com fenótipos sanguíneos raros ou incomuns podem atender estes receptores. A busca por estes doadores pode ser realizada por técnicas sorológicas ou moleculares. Nesta esfera, a técnica de genotipagem em pools de DNA por tempo real representa uma estratégia promissora devido a otimização operacional, pela acuracidade dos resultados e pelo baixo custo da reação.Este projeto tem por objetivo a triagem de amostras de DNA de doadores de sangue obtidas de pools de plasma (seis doadores por pool) utilizando a tecnologia de PCR em tempo real na detecção de portadores de polimorfismos que codificam o fenótipo raro Vel negativo, antígeno de alta frequência com importância clínica na pratica transfusional. Serão utilizadas as amostras de DNA extraídas para a realização do teste de NAT para pesquisa de HIV e HCV, o qual é obrigatório pela legislação brasileira e cujo material extraído é desprezado após a realização deste.Estudos populacionais estimam a frequência de indivíduos Vel negativo de 1 indivíduo em 4.000 na Europa e ligeiramente mais elevada no norte da Escandinávia, 1 em 1.700 (STORRY et al, 2013). No Brasil esta frequência é desconhecida.