Busca avançada
Ano de início
Entree

Detecção plasmática dinâmica da mutação H3.3 em pacientes com astrocitomas de alto grau (AAG)

Processo: 15/20142-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de agosto de 2016
Vigência (Término): 31 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Elvis Terci Valera
Beneficiário:Elvis Terci Valera
Anfitrião: Nada Jabado
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP (HCMRP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Local de pesquisa : McGill University, Canadá  
Assunto(s):Neoplasias cerebrais   Glioma   Genética médica   Histonas

Resumo

Os avanços obtidos no controle e na cura de vários subtipos de câncer pediátrico nas últimas décadas são inegáveis. Entretanto, os gliomas de alto grau (GAG) ainda são uma forma particularmente letal e incapacitante de câncer cerebral, sendo que apenas 10% das crianças e adultos jovens sobrevivem por mais de 3 anos após o diagnóstico. Diversos esforços mundiais tem sido empreendidos para enfrentar este tumor devastador. Recentemente, Jabado e colaboradores descreveram que mutações envolvendo o gene H3.3 estão fortemente relacionados a um padrão distinto de metilação do DNA em GAG pediátricos, sendo que que cada tipo específico destamutação se correlaciona a uma faixa etária e localização neuroanatômica própria da doença. Estas assinaturas genéticas únicas, aliadas a uma melhor estratificação de risco, em associação a novas terapias-alvo moleculares poderão fornecer novas estratégias aplicáveis no tratamento dos GAG pediátricos. O presente projeto de pesquisa faz parte do consórcio ICHANGE (International Childhood Astrocytoma Novel Genomics and Epigenomics strategies Consortium) que agrupa especialistas, dados clínicos e material biológico de todo o mundo. O objetivo deste estudo é desenvolver e validar testes plasmáticos e urinários de diagnóstico da mutações H3.3 no GAG. Os testes serão realizados em crianças e adultos jovens com GAG, participantes noscentos de tratamento em todo o Canadá. Será realizado o sequenciamento genético para determinar o estado de mutação H3.3 em GAG no momento do diagnóstico, assim como a detecção da mutação no plasma em vesículas extracelulares (oncosomos) aodiagnóstico, durante o tratamento e no seguimento clínico ou recaída. Estes dados serão incorporados nas análises do estudo multicêntrico cooperativo que integra o estudo do genoma, transcriptoma e perfil de metilação (metiloma) de GAG. Espera-seque a padronização de metodologia seja capaz de identificar a presença de identidade genética tumoral no plasma via oncosomos, e que possa servir como instrumento dinâmico de monitorização da neoplasia, auxiliando na tomada de decisão de tratamento de modo mais assertivo e menos invasivo. Esta abordagem tem implicaçãoprática eminente e, caso bem sucedida, poderá ter sua aplicação estendida a diversos outros tipos de neoplasias humanas.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Descobertas mutações responsáveis por tipo raro de linfoma 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.