Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da realização de contrações isométricas máximas dos extensores do joelho no dano muscular e economia de corrida após corrida em Downhill

Processo: 16/04909-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2016
Vigência (Término): 30 de setembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Benedito Sérgio Denadai
Beneficiário:Leonardo Coelho Rabello de Lima
Supervisor no Exterior: Ken Nosaka
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Local de pesquisa : Edith Cowan University, Joondalup (ECU), Austrália  
Vinculado à bolsa:13/23585-4 - Relação entre economia de corrida e força muscular: análise pelo modelo de dano muscular induzido pela corrida em declive, BP.DR
Assunto(s):Fisiologia do exercício   Contração isométrica   Lesão muscular

Resumo

O dano muscular induzido pela corrida em declive compromete a capacidade produção de força e a economia de corrida (EC). Um estudo recente demonstrou que a realização de 10 contrações isométricas máximas com o músculo em um estado alongado (CIM) alguns dias antes de uma sessão de exercícios danificadores nos flexores do cotovelo atenuou significantemente sintomas de dano muscular (dor muscular, perda de força) em indivíduos não treinados. Entretanto, não há estudos de nosso conhecimento que investigaram a proteção, conferida por CIM conta o dano muscular induzido pela corrida em declive. O presente estudo irá investigar se a realização de 10 CIM com os extensores do joelho dois dias antes de uma corrida em declive de 30 minutos (-15%) atenua a magnitude do dano muscular e as alterações na EC. Trinta voluntários homens serão randomicamente divididos em grupos experimental e controle. Os voluntários do grupo experimental realizarão 10 CIM (3s por contração, 45s entre contrações) com o joelho posicionado em 100° de flexão em um aparelho de leg press dois dias antes da corrida em declive, enquanto os voluntários do grupo controle permanecerão inativos durante esse período. Todos os voluntários correrão por 30 minutos a 70% da velocidade atingida durante o consumo máximo de oxigênio. Alterações em marcadores de dano muscular (pico de torque isocinético dos extensores do joelho, altura de salto com contra movimento, dor muscular, circunferência da porção medial da coxa, atividade sérica da enzima creatina quinase) e em parâmetros associados à EC (consumo de oxigênio, ventilação, concentração de lactato, percepção subjetiva de esforço, comprimento e frequência de passada) serão coletados antes, imediatamente após e 1-4 dias após a corrida em declive e comparados entre os grupos. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
LIMA, LEONARDO C. R.; NOSAKA, KAZUNORI; CHEN, TREVOR C.; PINTO, RONEI S.; GRECO, CAMILA C.; DENADAI, BENEDITO S. Decreased running economy is not associated with decreased force production capacity following downhill running in untrained, young men. European Journal of Sport Science, FEB 2020. Citações Web of Science: 0.
LIMA, LEONARDO C. R.; BASSAN, NATALIA M.; CARDOZO, ADALGISO C.; GONCALVES, MAURO; GRECO, CAMILA C.; DENADAI, BENEDITO S. Isometric pre-conditioning blunts exercise-induced muscle damage but does not attenuate changes in running economy following downhill running. HUMAN MOVEMENT SCIENCE, v. 60, p. 1-9, AUG 2018. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.