Busca avançada
Ano de início
Entree

Comparação de púrpura trombocitopênica imune entre Pacientes com Lupus eritematoso sistêmico juvenil versus adulto

Processo: 15/20056-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2016
Vigência (Término): 30 de abril de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Nádia Emi Aikawa
Beneficiário:Gladys Cherres Xavier Esteves
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Lúpus eritematoso sistêmico   Reumatologia

Resumo

Introdução: Anormalidades hematológicas são muitas vezes a manifestação inicial do LES.e trombocitopenia associada à doença é quase sempre imunomediada. A sua prevalência foi estimada entre 10% e 40% na população adulta, sendo que a literatura médica mostra uma maior frequência desta manifestação no LESJ versus LESa. A ausência de pesquisa avaliando as diferenças clínicas e laboratoriais iniciais de púrpura trombocitopênica imune (PTI) entre pacientes com lúpus eritematoso sistêmico de início juvenil (LESJ) e adulto (LESa), em uma expressiva população de um único hospital universitário, estimulou a realização deste relevante estudo multicêntrico.Objetivos: Avaliar as diferenças clínicas e laboratoriais iniciais de PTI entre pacientes com LESJ e LESa. Métodos: A população do estudo incluirá amostras de conveniências de pacientes com LESJ e LESa acompanhados em dois serviços de Reumatologia do Hospital das Clinicas da FMUSP, desde o início da criação de cada um dos serviços. O diagnóstico será realizado de acordo com os critérios de classificação do Colégio Americano de Reumatologia, com início da doença antes dos 18 anos de idade para o LESJ. O estudo será uma coorte histórica, com uma análise retrospectiva através da revisão de todos os prontuários de pacientes com LESJ e LESa, segundo um protocolo clínico padronizado composto por itens que abordam dados demográficos, manifestações clínicas e características laboratoriais, atividade e dano cumulativo da doença e tratamento nos pacientes. Essas informações serão coletadas em um extenso banco de dados. Trombocitopenia será definida como contagem de plaquetas menor que 100.000/mm³ na ausência de drogas que justifiquem essa alteração e trombocitopenia grave como contagem de plaquetas menor que 50.000/mm³ na ausência de drogas que justifiquem essa alteração. As seguintes manifestações clínico-laboratoriais também serão avaliadas: presença de hemorragia, trombose arterial ou venosa, necessidade de transfusão sanguínea, uso de anticoagulantes e mielograma. Os resultados serão apresentados como mediana (variação) ou média±desvio padrão para variáveis contínuas e número (%) para variáveis categóricas. Os dados serão comparados utilizando-se o teste t e teste de Mann Whitney para as variáveis contínuas para avaliar diferenças clínicas e laboratoriais iniciais entre pacientes com LESJ e LESa. Para variáveis categóricas as diferenças serão avaliadas através do teste do qui-quadrado de Pearson ou teste exato de Fisher. Em todos os testes estatísticos o nível de significância da variável independente será estabelecido em 5% (p <0,05).