Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da depleção de glutationa no tratamento com quimioterápicos em meduloblastoma

Processo: 16/09962-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2016
Vigência (Término): 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Oswaldo Keith Okamoto
Beneficiário:Beatriz Dias Barbieri
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Glutationa   Meduloblastoma   Quimioterapia   Antineoplásicos   Células tumorais

Resumo

O meduloblastoma (MB) é o tumor cerebral pediátrico mais comum que afeta a região do cerebelo. A expressão de fatores de pluripotência, especialmente OCT4, tem sido correlacionada com prognóstico clínico desfavorável e resistência ao tratamento. A resistência a drogas anti-tumorais é um dos principais fatores limitantes para o sucesso terapêutico. A glutationa (GSH), principal molécula antioxidante celular, exerce papel fundamental no processo de resistência, pois seu mecanismo de ação resulta no efluxo das drogas anti-tumorais pela célula. A butionina sulfoximina (BSO) é um inibidor da síntese de GSH e sua administração consegue reestabelecer a sensibilidade tumoral a quimioterápicos em gliomas. No entanto, pouco se sabe a respeito dos efeitos da administração de BSO no tratamento contra MB, especialmente em células altamente tumorigênicas com propriedades de células tronco. Assim, o presente estudo visa investigar se a depleção de GSH pode potencializar a eficácia da quimioterapia contra MB. Para isso, avaliaremos o efeito do tratamento combinado com BSO, cisplatina e temozolomida sobre a viabilidade de células altamente tumorigênicas de MB, que apresentam superexpressão estável de OCT4. Posteriormente, analisaremos a eficácia terapêutica deste tratamento combinado in vivo, por meio do acompanhamento da progressão tumoral em modelo ortotópico de MB em camundongos imunodeficientes. Este estudo pré-clínico pretende contribuir com a formulação de novas estratégias terapêuticas contra MB, com ênfase em alternativas de tratamento que contornem a resistência adquirida a quimioterápicos de uso corrente. (AU)