Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do laser terapêutico de baixa intensidade no processo de reparo ósseo em ratos sob influência da ingestão crônica de álcool

Processo: 16/11772-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2016
Vigência (Término): 30 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Ana Claudia Muniz Renno
Beneficiário:Stephanie de Souza Fermino
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Assunto(s):Fisioterapia   Resposta inflamatória   Reparo tecidual   Reparo ósseo   Fraturas ósseas   Álcool   Terapia a laser de baixa intensidade   Análise qualitativa   Modelo experimental   Ratos Wistar

Resumo

O consumo crônico de álcool está associado com estadias prolongadas em hospitais, alto número de encaminhamentos para unidades de terapia intensiva e prejuízo durante o processo de reparo tecidual. O consumo crônico excessivo de álcool diminui a formação óssea, através de um efeito tóxico direto sobre a função dos osteoblastos, além de alterar as vias de sinalização relacionadas à resposta inflamatória. Desta forma, se faz necessário a investigação de tratamentos que apresentem um potencial osteogênico e que tenham a capacidade de acelerar o processo de reparo ósseo em alcoólatras. O laser terapêutico de baixa intensidade (LLLT) é um recurso amplamente utilizado para acelerar o metabolismo ósseo. Existem evidências de que o LLLT é capaz de estimular células ósseas e acelerar o processo de reparo, mas não existem estudos que suportem a aplicação desta promissora intervenção terapêutica no tecido ósseo de modelos experimentais de ingestão crônica de álcool. Assim, o objetivo do presente estudo é analisar os efeitos do LLLT durante o processo de reparo ósseo de ratos submetidos a ingestão crônica excessiva de álcool. Para isso, 30 ratos Wistar adultos serão divididos em três grupos: controle (n=10), álcool (n=10) e álcool + LLLT (n=10). Cada grupo será subdividido em dois grupos de 5 animais cada, um para análise em 7 dias pós-lesão (n = 15) e outro para 14 dias pós-lesão (n = 15). A administração de álcool será realizada pelo protocolo do paradigma de duas garrafas com acesso a uma garrafa de água e outra contendo solução de álcool 20%, 3 dias por semana durante 45 dias. O defeito ósseo de 3 mm de diâmetro será induzido por uma broca odontológica do tipo trefina na tíbia dos animais e o tratamento com LLLT iniciará imediatamente após a lesão. Serão realizados cortes histológicos transversais para análise qualitativa do processo inflamatório, tecido de granulação, área de necrose, estrutura do tecido, análise morfométrica e análise imunoistoquímica da expressão de RUNX2 e RANKL.