Busca avançada
Ano de início
Entree

Perfil sensorial de crianças e adolescentes com Síndrome de Down e a relação com o desempenho motor e a participação no contexto domiciliar

Processo: 17/09653-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2017
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Nelci Adriana Cicuto Ferreira Rocha
Beneficiário:Beatriz Helena Brugnaro
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):17/26847-0 - Participação no contexto domiciliar de crianças e adolescentes com Síndrome de Down, BE.EP.IC
Assunto(s):Desenvolvimento motor   Síndrome de Down   Participação social

Resumo

O modelo de descrição de saúde, com base em um modelo biopsicossocial, propõe que a determinação de funcionalidade refere-se à relação entre as condições de integridade de estrutura e funções do corpo, da capacidade em realizar atividades e de participações sociais. Assim, para que planejamentos de intervenções sejam bem sucedidos é necessário compreender como condições de saúde/doença e deficiências de sistemas afetam capacidades funcionais e participação social, bem como identificar suas relações. Desta forma, o presente estudo tem o objetivo de verificar o perfil sensorial da criança e do adolescente com síndrome de Down, bem como sua relação com o desempenho motor e com a participação no contexto domiciliar. Participarão deste estudo crianças e adolescentes com SD e desenvolvimento típico, com idade entre 7 a 13 anos. O perfil sensorial será avaliado por meio da escala Perfil Sensorial, o desenvolvimento motor, por meio da escala GMFM - Gross Motor Function Measure, e a participação domiciliar, utilizando-se a escala CHORES - Children Helping Out: Responsibilities, Expectations and Supports. Os resultados descritivos serão dados por meio da média e do desvio padrão. A análise de diferença entre os grupos e a relação entre as demais variáveis serão avaliadas por meio de testes adequados a normalidade de sua distribuição. Para todas as análises serão adotados um nível de significância de 5% (pd0,05). Por meio dos resultados deste estudo, será possível favorecer intervenções clínicas que abordem o desenvolvimento biopsicossocial da criança e do adolescente com SD. (AU)